Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

31
Ago15

Paulo Rangel e a partidarização da justiça

11954581_113991095619830_6800495891869533329_n.jpg

 

Na Universidade de verão do PSD, o eurodeputado social-democrata Paulo Rangel enalteceu o «ataque sério e consistente» que tem sido feito nos últimos quatro anos, ou seja nos governos do PSD-CDS, à «corrupção» e «promiscuidade» e questionou os presentes naquele fórum se acreditavam que se «os socialistas estivessem no poder haveria um primeiro-ministro sob investigação» ou «o maior banqueiro estaria sob investigação».

Reagindo de imediato às palavras de Rangel, o Partido Socialista, através de Francisco Assis, veio acusar o eurodeputado de estar a fazer «uma tentativa clara de partidarização da justiça», exigindo ao líder do PSD, Pedro Passos Coelho, um esclarecimento no sentido de dizer claramente se se reconhece nas declarações de Paulo Rangel.

Igualmente, a presidente da ASJP, Maria José Costeira, considerou as declarações de Paulo Rangel «infelizes», o facto de o país estar num período de campanha eleitoral não «vale tudo» e na opinião desta magistrada «era bom que os nossos políticos percebessem que a justiça é importante demais para ser politizada e ser objeto de campanhas eleitorais. 

Era previsível que o PSD trouxesse à colação a situação de José Sócrates em campanha eleitoral. Estas declarações de Rangel são tão mais acintosas porquanto o mesmo foi secretário de estado da Justiça e sabe perfeitamente como funciona o sistema de justiça. Que é absolutamente independente do poder executivo, ao abrigo do princípio da separação de poderes e como tal impõe-se que a Procuradora-Geral da República esclareça cabalmente se recebeu ou não alguma instrução do Governo para investigar os casos em apreço (Sócrates e Ricardo Salgado). É que desta feita poderá pairar a dúvida: por que os cavalheiros que constam da imagem supra não estão em prisão preventina?

30
Ago15

Leituras de Verão

a-rapariga-no-comboio_featured-620x435.jpg

Já tinha lido sobre êxito do best-seller mundial «A Rapariga no Comboio» que figura no top de vendas em todo o mundo, entretanto vi-o em destaque numa feira do livro, na zona onde passei férias e comprei-o por impulso.

Em boa hora o fiz, porque o livro agarrou-me da primeira à última página. Li-o de um fôlego, em três dias .

A obra é-nos apresentada através das narrativas de três personagens femininas: Rachel, Megan e Anna. Estas personagens estão todas relacionadas, mas Rachel, a personagem principal, é o fio condutor de toda a esta história. Rachel, que viaja de comboio duas vezes por dia, observa, sentada à janela, a mesma paisagem todos os dias, criando cenários de vidas perfeitas, de casais felizes como ela já foi. E recorda então o seu passado, um passado preenchido por lembranças que a atormentam e que a obrigam a refugiar-se na bebida.

A memória de Rachel esconde-lhe a verdade, devido à dependência do álcool lhe apagar momentos marcantes da sua vida, falhas que vão sendo preenchidas à medida que a história se vai desenrolando na tentativa de saber o que efetivamente se passou naquela noite fatídica.

Sem dúvida um livro interessante de que gostei e que aconselho sem reservas! Uma obra «absorvente» e  «perturbadora» que irá fazer as delícias dos fãs do género.

Um boa leitura de verão!

27
Ago15

Sporting fora da Liga dos Campeões

CSKA.jpg

O Sporting perdeu a possibilidade de se qualificar para a fase de grupos da Liga dos Campões ao perder a eliminatória com o CSKA de Moscovo.

Os leões até entraram bem no jogo, fizeram boa circulação de bola e controlaram totalmente o jogo na primeira metade, com Teo Gutiérrez a abrir o marcador. Tudo parecia estar a correr de feição e a aproximar o Sporting do seu objetivo. O intervalo chegou e o Sporting estava muito perto da fase de apuramento da Liga dos Campeões.

Mas, surpreendentemente, na segunda parte tudo mudou, Jesus tardou em mexer e quando o fez, não tomou as melhores opções, na minha opinião. Quando já se pensava  no prolongamento, o CSKA sentenciou a eliminatória. Mais uma bola nas costas da defesa do Sporting e Musa a contornar Rui Patrício e a colocar o CSKA na fase de grupos da Liga dos Campeões, relegando a equipa portuguesa para a Liga Europa.

Acho que temos claramente razões de queixa da arbitragem ̶  o CSKA marcou um golo irregular com o braço, validado pelos árbitros; o Sporting marcou um segundo golo mal anulado, pois segundo as imagens televisivas, o canto é marcado sem que o fiscal de linha não assinale qualquer irregularidade, só quando a bola entra na baliza é que levanta a bandeirola.

Acho, no entanto, que a atitude displicente da equipa de não conseguir segurar a vantagem que alcançamos na primeira parte é altamente preocupante, não apenas pela má imagem que deixa, como porque, neste caso, estavam em causa 14 milhões de euros que permitiriam outra solidez financeira ao clube leonino.

Concluindo, o Sporting foi prejudicado pelos erros de arbitragem, mas também foi vítima dos erros que cometeu na segunda parte do jogo.

22
Ago15

O PS e as presidenciais

402096.png

A um mês e meio das legislativas, os socialistas continuam a dar tiros no pé. Depois da trapalhada dos cartazes, o PS, perante um país dividido, teima em abdicar internamente de uma linha consensual que una o partido e não aprende com os erros do passado. Uma vez mais os socialistas partem para as presidenciais em grande confusão. Henrique Neto não prescindiu de lançar uma candidatura e, quando tudo parecia preparado para no Largo do Rato para apoiar a candidatura de Sampaio da Nóvoa, eis que entra em cena Maria de Belém com a sua decisão de se candidatar à Presidência da República, com apoio de uma ala mais «seguristas» do partido, criando um monumental problema a António Costa, porquanto a sua candidatura irá reabrir uma cisão no partido socialista, semelhante àquela que opôs Manuel Alegre a Mário Soares, que como todos sabemos acabou com a eleição de Cavaco Silva e com os resultados desastrosos que todos conhecemos.

A questão não vai ser fácil de gerir dentro do PS. Entre os apoiantes de Maria de Belém considera-se difícil que perante uma candidatura oficial de uma ex-Presidente do partido o PS não a patrocine. Isto tornar-se-á mais gritante se Maria de Belém congregar apoios de peso fora e dentro do PS.

E face a este cenário o que fará António Costa? Apoiará um independente, ou apoiará a candidatura de alguém que vem de dentro do partido e que já foi presidente do PS? Penso que a decisão dependerá dos resultados das eleições legislativas. Caso o PS consiga uma vitória clara, Costa conseguirá afastar de vez os «seguristas» e ganhar espaço para o apoio a Sampaio da Nóvoa. Agora, se o resultado for escasso ou em caso de derrota nas legislativas, não lhe resta outra opção que não seja apoiar Maria de Belém.

Com Sampaio da Novoa poderíamos estar perante um candidato que reunisse o apoio de toda a esquerda, nem que fosse numa segunda volta. Com Maria de Belém duvido muito que tal aconteça. E com toda uma dispersão de votos à esquerda quem vai lucrar mesmo é Marcelo Rebelo de Sousa que, como o SOL assegurou, irá mesmo avançar.

O que acho mais surpreendente é como o PS não consiga perceber isto e ande a desperdiçar oportunidades sucessivas.

15
Ago15

Sporting garante vitória nos descontos

joao mario.png

O campeonato nacional de futebol começou ontem, em Aveiro, com o Tondela e o Sporting a abrir as hostilidades na primeira jornada da nova época 2015/16.

Depois de um defeso movimentado e atípico (com a mudança de Jorge Jesus de Carnide para Alvalade e o mercado das transferências ao rubro) e ainda com o rescaldo da Supertaça como pano de fundo, recheada com as habituais picardias, a coisa prometia.

Jorge Jesus colocou em jogo o mesmo 11 que venceu a Supertaça. O Tondela até entrou bem no jogo, surpreendendo nos primeiros dez minutos, fazendo pressão sobre o Sporting, mas depois o SCP pegou no jogo, equilibrou, e a meio da primeira parte João Mário apontou o primeiro golo no jogo, colocando o Sporting em vantagem.

Até ao final da primeira parte «só deu Sporting», com grandes oportunidades de golos, movimentações rápidas, mas falhando, contudo, na finalização. Ao intervalo o marcador indicava 1-0, sendo notoriamente escasso para aquilo que o SCP tinha feito na primeira parte

Na segunda parte veio a surpresa do jogo. O SCP baixou o ritmo de jogo e após um livre indireto a favor do Tondela, numa bola batida para a pequena área, um jogador do Tondela joga a bola para o fundo das redes do SCP, mas com a ajuda do braço. O golo nasce de um livre que devia ter sido marcado a favor do Sporting, pois Naldo sofre falta do adversário, que o agarra depois de ele ter ganhado posição. Mas a equipa de arbitragem assim não entendeu e o golo foi validado.

O Sporting bem tentou colocar-se novamente em vantagem, mas a defesa do Tondela opôs-se bem, e só nos últimos minutos de compensação o Sporting conseguiu ganhar uma grande penalidade, por falta indiscutível de Murillo sobre Gelson Martins que havia entrado no segundo tempo, todavia precedida de uma irregularidade, já que João Pereira lança a bola com um pé no relvado.

Adrien Silva marcou a grande penalidade de forma irrepreensível, colocando a equipa comandada por JJ em vantagem. O Sporting mereceu vencer o jogo, foi a equipa que mais procurou a vitória. O Tondela jogou nos minutos finais claramente para o empate, tentando bloquear todos os ataques do Sporting, o que em parte conseguiu, mas quando tinha oportunidade de contra-atacar fazia com algum perigo.

O Sporting sofreu muito para conseguir alcançar os primeiros três pontos na primeira jornada do campeonato. O Tondela foi uma equipa bem organizada, que mostrou aspetos táticos interessantes, num jogo que pecou pela má arbitragem de Carlos Xistra.

O próximo jogo do Sporting é já na próxima 3ª feira frente ao CSKA Moscovo para a 1° mão do Play Off da Liga dos Campeões. Será muito importante passar a eliminatória na Liga dos Campeões. Para isso, teremos de eliminar o CSKA de Moscovo, de má memória para nós sportinguistas. Se tal acontecer, o Sporting fará um encaixe financeiro de treze milhões de euros, recuperando praticamente o investimento realizado nesta época.

 

07
Ago15

Em «modo férias»

 DSCN0726.jpg

Hoje é o meu último dia de trabalho, pelo que  na próxima semana entro oficialmente em «modo de férias». Vou fazer uma pausa durante três semanas. Para descansar, fazer praia, contemplar, dar uns passeios e arrumar pensamentos.

Mas o blog não vai parar totalmente! Vai estar menos ativo, é certo, o que não significa que que não publique, de vez em quando, um post ou outro (espero eu!).

Em setembro retomarei as rotinas habituais.

06
Ago15

Debates eleitorais já estão agendados

 

960419.jpg

Estão já marcados os dois frente a frente Passos-Costa e o debate entre os quatro líderes dos partidos com assento parlamentar.

O primeiro frente a frente entre Passos Coelho e António Costa, a 9 de setembro, será transmitido em simultâneo pelos três canais generalistas — RTP, SIC e TVI. O segundo acontece uma semana depois, dia 17, em simultâneo em três rádios - TSF, Renascença e Antena 1. Posteriormente haverá um debate com os quatro líderes dos partidos com assento parlamentar — Passos Coelho, António Costa, Jerónimo de Sousa e Catarina Martins — também em direto e ao mesmo tempo nas três televisões generalistas que ocorrerá em 22 de setembro.

Desta forma o CDS-PP e o PEV ficarão fora dos debates.

05
Ago15

Os polémicos cartazes do PS vão ser retirados

478272.png

Os cartazes de campanha do PS para as legislativas, da autoria de Edson Athaíde, estão a gerar polémica e vão ser retirados, depois de terem sido alvo de troça nas redes sociais (onde os cartazes chegaram a ser comparados com a propaganda da IURD – Igreja Universal do Reino de Deus) e, gerado grande controvérsia dentro do partido.

Os socialistas adiantam, contudo, que não foram as críticas que surgiram nas redes sociais que levaram a que os cartazes fossem retirados. Pelo contrário, consideraram até que essas reações ditaram o seu sucesso. A decisão de retirar os cartazes garante Ascenso Simões, diretor da campanha socialista, surge depois do PS ter percebido que os cartazes já haviam cumprido a função a que se propunham e que a sua retirada «já estava prevista desde o início» e dá como exemplo a recente campanha eleitoiral no Reino Unido em «que as mensagens políticas em imagem vão criando novas formas de reação. Atrás de um processo de maior irritação/aceitação há depois processos de maior aproximação. Também são formas de chegar mais rápido às pessoas».

Aliás, como explica Edson Athaíde, «falem mal ou bem o que importa é que falem». E resultou. A polémica bateu recordes de comentários nas redes sociais e até surgiram montagens com o anterior secretário-geral António José Seguro, com António Costa e com José Sócrates.

Mas, se o cartaz foi alvo de grande gozo nas redes socias, não o foi menos no interior do partido, designadamente pela ala «segurista» e as críticas dentro do PS não tardaram. António Galamba, apoiante de António José Seguro, foi um dos que deu a cara pelas críticas, depois de ter ficado fora das listas para as legislativas, escreveu na sua página de facebook: « (…) os cartazes têm estado muito aquém do exigível, têm sido validados politicamente. Como quem os valida não é reciclável, não se pode mudar, é alterar a outra variante. Sem humilhantes anúncios e fugas para a imprensa que são indignos. Fazer uma campanha eleitoral em 2015 não tem nada a ver com o fazer uma campanha eleitoral em 1995. (…) A responsabilidade maior é de quem escolheu não de quem foi escolhido. Em vez de notícias com base em fontes, é resolver o assunto». Mas, nem todos os antigos apoiantes de Seguro foram tão cáusticos. Carlos Zorrinho, por exemplo, escreveu sobre o cartaz: «Primeiro estranha-se e depois entranha-se, ou não? Eu também estranhei o último cartaz do PS mas a verdade é que agora todos falam dele».

Pág. 1/2