Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

26
Dez16

Annus horribilis para a música

15741278_1860387237572114_7666491057088003501_n.jp

 

2016, foi um ano negro para a música com o desaparecimento de alguns dos seus grandes nomes.

David Bowie foi o primeiro a partir, em Janeiro, apenas uns dias depois de lançar o álbum Blackstar.

O músico Maurice White, o produtor dos Beatles, George Marti,  Keith Emerson e Greg Lake da banda Emerson, Lake & Palmer, Phife Dawg, o rapper americano e um dos criadores do grupo A Tribe Called Quest e Merle Haggard, lenda da música country foram também cantores que desapareceram ao longo do ano.

Prince, o ícone da pop e também Leonard Cohen, poeta e cantor fazem parte da lista negra de cantores que morreram em 2016. Sharon Jones, cantora do soul e funk e Rick Parfitt, o guitarrista do grupo Status Quo também nos deixaram este ano.

Ontem foi a vez George Michael, uma das melhores vozes da pop britânica, primeiro com a dupla Wham e depois com uma carreira solo, que morreu ontem aos 53 anos, dia de Natal. Sim, ontem foi o Last Christmas de George Michael, infelizmente.

Que ano horrível! Ainda bem que 2016 vai acabar daqui a menos que uma semana.