Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

04.08.15

Défice poderá ficar acima dos 3% em 2015

ng0A9521AB-9A85-4A95-8A13-2E5ACBB1F543.jpg

Depois da  UTAO ter analisado os dados de receita fiscal do primeiro semestre deste ano e ter concluído que existe um desvio na receita fiscal que, a manter-se até ao final do ano, equivalerá a 660 milhões de euros o que implicará que o défice seja superior aos 3%, agora é também a agência de notação financeira Fitch a afirmar que Portugal vai terminar 2015 com um défice de 3,1% do PIB, ou seja, acima da fasquia dos 3%, o que faz com que viole o pacto de estabilidade e fique aquém daquele que era apontado pelo executivo, cujas perspetivas apontavam para os 2,7%.

A agência de notação financeira prevê também que o crescimento da economia seja inferior ao previsto pelo Governo, FMI, OCDE e Comissão Europeia e que não vá além dos 1,5%, enquanto estas instituições apostam nos 1,6%. O Banco de Portugal, ainda mais ambicioso, estimava que a economia crescesse 1,7%.

Outro dos valores que fica aquém do expectável pelo Governo é o rácio da dívida pública. Enquanto o Executivo se comprometeu com os 124,2% do PIB, as perspetivas da Fitch apontam para 127,8%.