Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

20
Mar15

Eclipse, Superlua e Equinócio da Primavera

O eclipse e a superlua são fenómenos astronómicos interessantes que acontecem hoje, dia 20 de março, em simultâneo com o equinócio de primavera, que marca a mudança de estação.

sexta20mar2015_equinocioprimav.jpg

 

Equinócio de Primavera

O equinócio da primavera ocorre quando o equador celeste se encontra alinhado com a trajetória elíptica da Terra em torno do Sol. De uma maneira mais simples, quando o eixo terrestre não está inclinado, Assim sendo, neste dia, devido ao equinócio dia e noite vão ter aproximadamente a mesma duração. O fenómeno propriamente dito, acontece cerca das 22h45, quando o sol, que a essa hora se encontra do outro lado da Terra, ilumina diretamente o equador. Essa é também a hora exata em que se inicia a primavera.

  img_757x426$2015_03_20_08_50_03_441982.jpg

 

Eclipse Solar

O dia vai, no entanto, começar com um eclipse total do Sol - que será visto apenas parcialmente em Portugal. O fenómeno ocorre entre as 8h e as 10h, na manhã desta sexta-feira, mas são necessários alguns cuidados para o observar, isto porque o Sol emite radiação luminosa infravermelha visível e ultravioleta. O perigo, contudo, está na quantidade emitida. O olho humano não se encontra preparado para observar diretamente o fenómeno, bastando uma observação de um minuto para causar danos permanentes. Não é o eclipse em si que é perigoso, mas sim a observação direta do Sol. Existem, no entanto, formas de o fazer em segurança com óculos apropriados. Mas o Observatório Astronómico de Lisboa alerta para que, mesmo com equipamento ótico adequado, as observações devem ser limitadas a 30 segundos, com intervalos de pelo menos 3 minutos entre cada observação. A lesão provocada pela sobre-exposição solar é indolor e pode provocar distorção das imagens ou alteração das cores e é, quase sempre, permanente e irreversível.

 sexta20mar2015_superlua.jpg

 

Superlua

A superlua será o terceiro fenómeno celestial de sexta-feira. É um fenómeno bem menos raro que o eclipse e que corresponde ao momento em que a Lua cheia aparece no ponto da sua órbita elíptica mais próxima da Terra. Deste modo, o disco lunar atinge a sua maior dimensão.

Este fenómeno ocorre com um espaçamento de cerca de 14 meses lunares, ou seja, 412 dias. Ao contrário do eclipse, não há qualquer perigo na observação da superlua, no entanto, esta sexta-feira a lua encontra-se na sua fase nova, o que prejudica a sua visibilidade.