Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

08
Mai17

En Marche

20409979_lB7rc.jpg

Emmanuel Macron foi eleito Presidente de na segunda volta das presidenciais francesas, batendo a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen . Nestas eleições mais que o futuro da França, jogava-se o futuro da Europa. Estava sobretudo em cima da mesa prosseguir na vinculação de França à União Europeia ou assumir uma rutura e um regresso a uma lógica nacionalista, caso Le Pen se sagrasse vencedora.

 

A escolha dos eleitores franceses foi clara. Uma maioria significativa de franceses uniram-se em torno da candidatura de Emanuel Macron, derrotando claramente a alternativa personificada por Marine Le Pen.

 

O que resulta de mais interessante e promissor no futuro Presidente da República é tratar-se de um centrista, europeísta, independente dos Partidos tradicionais, além de ser o mais jovem Presidente eleito em toda a história da República e o mais jovem de todos os Chefes de Estado em todo o mundo que prometeu no seu discurso de vitória «restaurar» os laços entre a Europa e os cidadãos, afirmando que defenderá «a França e a Europa».

 

Tem como principais desafios conseguir uma maioria parlamentar nas próximas legislativas e conseguir estancar o crescimento da extrema-direita.

 

1 comentário

Comentar post