Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

27
Abr16

Espanha vai novamente a votos

502052624_770x433_acf_cropped.jpg

Em Espanha o impasse continua. Os partidos políticos mostram-se incapazes de chegar a entendimentos a fim de viabilizarem a formação de um governo. Neste contexto o rei de Espanha informou que será necessário dissolver o Parlamento e convocar novas eleições legislativas. Os espanhóis irão às urnas em 26 de junho, seis meses após as últimas eleições legislativas.

Ao contrário de Portugal, onde a esquerda fez um esforço para se sentar à mesa das negociações e chegar a uma plataforma de entendimento, com cedências de ambas as partes, em Espanha, essa possibilidade não foi conseguida e a realização de eleições, parece uma inevitabilidade, ainda que as sondagens mostrem que 80% dos espanhóis se opõe a este cenário,

Mas voltar a eleições resolveria o problema político? As próximas eleições espanholas serão vividas num contexto de um profundo esgotamento político. Recorde-se que quase todo o ano de 2015 foi preenchido com campanhas eleitorais. Depois os protagonistas políticos são os mesmos e estando os espanhóis contra a marcação de eleições, poderá existir uma elevada taxa de abstenção, punindo a incapacidade de diálogo e entendimento entre partidos políticos, antevendo-se que o impasse corra o risco de se manter, mesmo após este ato eleitoral.