Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

19.07.15

Maria de Belém para Belém?

402096.png

Ana Gomes foi a primeira a lançar o nome de Maria de Belém como «presidenciável». Mais tarde Francisco Assis afirmou que veria com bons olhos uma candidatura de Maria de Belém Roseira à Presidência da República. A própria afirmou relativamente a essa possibilidade: «não posso estar a dizer nem que sim nem que não, porque isso seria abdicar daquilo que a Constituição me confere, a possibilidade de me candidatar». Em privado, pessoas do seu núcleo duro acreditam que a candidatura é provável, mas nunca será anunciada antes das legislativas. Um sinal público foi dado depois da exclusão do seu nome nas listas de deputados do PS às eleições legislativas. O Expresso deste fim-de-semana garante que a antiga presidente socialista irá mesmo avançar e já conta com apoios dentro e fora do PS para concorrer ao cargo de chefe de Estado.

Maria de Belém é uma pessoa estimável com um sólido currículo e uma vasta experiência política, graças aos cargos que desempenhou no PS e no Governo.

Mas, «Maria de Belém para Belém» não será um pouco redundante?