Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

18
Dez15

Mourinho já não é treinador do Chelsea

 08_12-Mourinho.jpg

José Mourinho é o melhor treinador português da atualidade e um dos melhores do mundo, senão o melhor, mas no futebol passa-se de «bestial a besta» com a maior das facilidades, para tanto basta que os resultados obtidos não sejam os expectáveis.

Em junho deste ano, Mourinho festejou o campeonato inglês com o Chelsea. Em agosto, Abramovich renovou-lhe o contrato até 2019 e em dezembro é despedido devido a uma temporada desastrosa do Chelsea, numa altura em que o Chelsea está apenas a um ponto da zona de despromoção da Premier League. A última derrota, a 9.ª em 2015/16, no jogo frente ao Leicester, foi a gota de água e o desfecho que muitos esperavam.

Mourinho abandona o Chelsea após a conquista de seis títulos, incluídos duas ligas inglesas, em três épocas, mas com o sabor amargo de não ter triunfado na Liga dos Campeões ao serviço dos Blues. Além de ter dado à equipa de Stamford Bridge a primeira vitória no campeonato inglês após um interregno de 50 anos.

O special one, como se intitulou quando em 2004 chegou ao Chelsea, mudou o paradigma dos blues, ao conquistar duas Taças da Liga, uma Supertaça em pouco mais de três anos, antes de ser despedido, em setembro de 2007.

Assim como há oito anos Mourinho saberá seguramente dar a volta por cima, porque as aptidões adquiridas ao longo destes anos não se perdem. Foi besta, mas será novamente bestial noutro grande clube europeu, tenho a certeza.