Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

29.04.15

O nervosismo do PSD

757GEHGB.jpg

É inegável que as propostas apresentadas no âmbito do cenário macroeconómico do PS que servirão de base ao programa  eleitoral do PS vieram agitar as hostes sociais-democratas que, desde então,  têm mostrado um nervosismo fora do comum.

Senão vejamos: PSD e CDS apressaram-se a celebrar um «casamento de conveniência» para se apresentarem às eleições legislativas, sem auscultar as bases dos respetivos partidos.

Marco António Costa - não se sabe muito bem com que legitimidade – insiste que o o cenário macroeconómico seja analisado pela Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), através de um pedido da Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública, da Assembleia da República, fazendo uma ameaça aos socialistas: «Caso não o façam, será a maioria a tomar a iniciativa».

Eduardo Cabrita deputado pelo PS e presidente da Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública já respondeu que não é o vice-presidente do PSD que estabelece o ritmo dos trabalhos parlamentares, uma vez que nem sequer deputado é, acrescentando que a UTAO avalia propostas legislativas e não propostas partidárias.

Melhor fora que Marco António pedisse uma auditoria ao Município de Gaia com vista a fiscalizar os anos em que foi vice-presidente de Luís Filipe Menezes, a fim de esclarecer alegadamente a «rede de interesses» de que o acusam de ter criado, e deixasse que as propostas do PS bem como as dos demais partidos sejam sufragadas nas urnas pelos eleitores.