Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

22.08.15

O PS e as presidenciais

402096.png

A um mês e meio das legislativas, os socialistas continuam a dar tiros no pé. Depois da trapalhada dos cartazes, o PS, perante um país dividido, teima em abdicar internamente de uma linha consensual que una o partido e não aprende com os erros do passado. Uma vez mais os socialistas partem para as presidenciais em grande confusão. Henrique Neto não prescindiu de lançar uma candidatura e, quando tudo parecia preparado para no Largo do Rato para apoiar a candidatura de Sampaio da Nóvoa, eis que entra em cena Maria de Belém com a sua decisão de se candidatar à Presidência da República, com apoio de uma ala mais «seguristas» do partido, criando um monumental problema a António Costa, porquanto a sua candidatura irá reabrir uma cisão no partido socialista, semelhante àquela que opôs Manuel Alegre a Mário Soares, que como todos sabemos acabou com a eleição de Cavaco Silva e com os resultados desastrosos que todos conhecemos.

A questão não vai ser fácil de gerir dentro do PS. Entre os apoiantes de Maria de Belém considera-se difícil que perante uma candidatura oficial de uma ex-Presidente do partido o PS não a patrocine. Isto tornar-se-á mais gritante se Maria de Belém congregar apoios de peso fora e dentro do PS.

E face a este cenário o que fará António Costa? Apoiará um independente, ou apoiará a candidatura de alguém que vem de dentro do partido e que já foi presidente do PS? Penso que a decisão dependerá dos resultados das eleições legislativas. Caso o PS consiga uma vitória clara, Costa conseguirá afastar de vez os «seguristas» e ganhar espaço para o apoio a Sampaio da Nóvoa. Agora, se o resultado for escasso ou em caso de derrota nas legislativas, não lhe resta outra opção que não seja apoiar Maria de Belém.

Com Sampaio da Novoa poderíamos estar perante um candidato que reunisse o apoio de toda a esquerda, nem que fosse numa segunda volta. Com Maria de Belém duvido muito que tal aconteça. E com toda uma dispersão de votos à esquerda quem vai lucrar mesmo é Marcelo Rebelo de Sousa que, como o SOL assegurou, irá mesmo avançar.

O que acho mais surpreendente é como o PS não consiga perceber isto e ande a desperdiçar oportunidades sucessivas.