Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

16
Mar17

O PSD já tem candidato a Lisboa

teresalealcoelho-1.jpg

A poucos dias de se conhecer a opção de Pedro Passos Coelho para o Município de Lisboa, há um nome que agrada aos sociais-democratas: Teresa Leal Coelho, vice-presidente do PSD e vereadora da Câmara Municipal de Lisboa, escolha que deverá ser validada na Comissão Política Nacional da próxima terça-feira, 21 de março, mas antes disso a candidata ainda tem de passar pelo crivo dos plenários das estruturas concelhia e da distrital do partido. Contudo, estas estruturas veem com bons olhos um eventual avanço de Teresa Leal Coelho em Lisboa.

 

Após vários nomes que foram sendo queimados neste percurso de escolha de candidato autárquico, começando em Pedro Santana Lopes, passando por José Eduardo Moniz, José Eduardo Martins, Marques Mendes, Morais Sarmento, Carlos Barbosa, Maria Luís Albuquerque, Teresa Morais e Marisa Ferreira parece que o de Teresa Coelho será o eleito.

 

Depois de um processo em que concelhia e distrital não conseguiram entender-se em torno de um eventual apoio a Assunção Cristas e que acabou por opor a concelhia (que desafiou Passos a avançar) ao próprio líder nacional e sabendo antecipadamente que o PSD não ganhará em Lisboa, o partido envida esforços para que a derrota em Lisboa seja menos pesada, ou seja, que o seu candidato ou candidata fique atrás da candidata do CDS, coisa que, a acontecer, é vista por alguns barões do partido como um falhanço de consequências fatais para Passos.

 

Enquanto se projetam os efeitos dos resultados em Lisboa começa-se já a pensar no congresso do partido que se seguirá às autárquicas e onde os apoiantes de Rui Rio começam a contar espingardas a fim de vê-lo defrontar a atual liderança.