Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

18.01.17

Onde é que eu já vi este fime?

jje bdc.jpg

 

No ultimo fins-de-semana o Sporting empatou com o Chaves, depois de se encontrar em vantagem e a jogar com menos um jogador, num campo particularmente difícil (onde apenas o Benfica venceu), perdendo uma excelente oportunidade de encurtar distâncias no campeonato face aos principais rivais e de aproveitar o empate do Benfica frente ao Boavista.

 

Choveram críticas aos jogadores e à equipa técnica e o presidente do SCP, naturalmente desiludido com a equipa, no final do jogo, desceu ao balneário manifestando a sua insatisfação e a dos adeptos, tecendo algumas palavras duras, a fim de dar um murro na mesa e conseguir que a equipa finalmente «jogue à bola» e exiba os níveis que vinha demonstrando no ano passado.

 

O jogo de ontem frente ao mesmo Desportivo de Chaves para a Taça de Portugal afigurava-se de crucial importância, depois da saída da Taça dos Campões Europeus, Taça da Liga e estando o campeonato por um fio.

 

Mas, mais uma vez o Sporting mostrou que não tem «estofo de campeão». Num jogo a eliminar e com várias alterações no onze, o Sporting não entrou bem, vendo Fábio Martins desperdiçar duas oportunidades flagrantes, valeu Beto.

 

Duas contrariedades existiram, com as lesões de Jeferson e André. O desempenho dos leões melhorou no segundo tempo, com a entrada de Bruno César, sem que, no entanto, a equipa tenha conseguido descobrir o caminho da baliza. Aos 87’ foi surpreendida com um lance de bola parada que ditou o resultado final e atirou o Sporting para fora da Taça de Portugal. Um filme que infelizmente os sportinguistas conhecem de cor.

 

Foi mau demais. Uma traição aos adeptos, que sempre apoiaram incondicionalmente os jogadores e a equipa técnica. É inconcebível que uma equipa que tão bom futebol mostrou na época anterior tenha retrocedido (e nem as saídas de Slimani e João Mário justificam a prestação da equipa). Até alguns jogadores do Chaves são melhores que alguns do SCP.

 

Dito isto, é tempo de fazer algumas reflexões. Parece-me evidente que a atual temporada foi mal planeada. O plantel tem claras deficiências. As exibições, a politica de contratações, a dinâmica e o desequilibro da equipa, o desempenho e empenho dos jogadores, as constantes expulsões de Jesus e as constantes mudanças na equipa têm dado maus resultados e é natural que os adeptos estejam descontentes e que se fale em crise.

 

Com o mercado de inverno aberto, alguns jogadores deveriam sair já. O SCP precisa de vender, porque tem um plantel demasiado grande e caro para apenas uma competição que está praticamente perdida. E caso não fosse a indemnização obscena que Jorge Jesus exigiria também lhe podia ser apontada a porta de saída. Aliás, se Jorge Jesus tivesse um pingo de dignidade poria certamente o seu lugar à disposição.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D