Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

07
Mar17

Parabéns, RTP

  

rtp.jpg

 

 

Hoje a RTP está de parabéns. Para celebrar o seu 60º aniversário foi lançada a RTP Arquivos. A plataforma dá acesso gratuito a mais de 6500 registos de som e vídeo do arquivo da RTP. Desde 1936 com o início das emissões de rádio e desde 1957 com a chegada da televisão, a RTP tem construído um vasto acervo de conteúdos. Um repositório de valor inquestionável que, hoje, acaba por contar a história de Portugal das últimas seis décadas e está acessível a todos.

 

Não obstante todas as crises que tem atravessado e ultrapassado, a verdade é que RTP é uma instituição e faz parte da vida dos portugueses.

 

Ao longo dos anos esteve quase sempre na linha da frente da ficção, da informação, da ficção e do entretenimento. Informou o país, divertiu os portugueses com programas como o ZIP ZIP, parou o país com novelas como Gabriela ou Vila Faia e entreteve os portugueses com programas de humor como o Tal Canal, Jogos sem Fronteiras, Passeio dos Alegres, concursos como a Cornélia, 123, Festivais da Canção, só para citar alguns dos mais emblemáticos programas de que me recordo, e foi lançando assim as bases para uma indústria que outros replicaram e bem.

 

Por isso, hoje, dia de aniversário, é imperioso prestar homenagem a todos aqueles que começaram esta aventura e deixaram uma marca forte nesta instituição: aos apresentadores, aos jornalistas, aos produtores, aos realizadores e todos os técnicos que se formaram na RTP e fizeram a sua própria escola, aos programas que marcaram uma época. Por tudo isto: obrigada e parabéns RTP.