Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

13.11.15

Passos quer revisão extraordinária da Constituição

passos_coelho_jornadas_caminho_do_futuro13312c32.j

Passos Coelho propôs uma revisão extraordinária da Constituição, afirmando que se os partidos de esquerda não quiserem governar como «golpistas ou fraudulentos devem ajudar a criar condições para convocar eleições».

O líder do PSD considerou que se os partidos de esquerda não tiverem «a humildade de reconhecer os resultados das eleições, que tenham a humildade de convocar eleições para que seja o país a decidir».

Que Passos Coelho tem manifestamente um problema com a Constituição e que para ele esta Lei é a causa de todos os males já todos tínhamos percebido, agora que ignore a Constituição durante quatro anos, enquanto esteve em maioria e venha pedir a sua substituição quando fica em minoria e use a revisão da Lei Fundamental como argumento para a luta partidária já me parece mais grave, mais, vindo de uma pessoa que desempenhou durante quatro anos o cargo de primeiro-ministro. 

Acresce ainda para que o processo fosse exequível necessitaria o Parlamento de ter uma maioria dois terços do número de deputados para o efeito, o que teria de envolver necessariamente o PS. Acontece que não se afigura que neste momento estejam reunidas as condições para convocar novas eleições e ainda menos que os socialistas queiram nesta altura do campeonato fazer essa vontade ao ainda primeiro-ministro.

Para quem se estava a lixar para as eleições não deixa de ser um pouco estranho este novo discurso de Passos Coelho.