Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

04.03.15

Santana e Vitorino comentam dívidas de Passos Coelho à Segurança Social

1473041_941811875842890_8446793669523721343_n.jpg

«Perguntados por Ana Lourenço sobre a fuga ao pagamento de impostos, a mais recente, do Primeiro Ministro, Santana Lopes e Vitorino, clarificaram porque estão na Politica, porque vieram para a Politica e o que deles se espera....
Vitorino, adornou a sua verbe fácil com o sorriso melífluo de quem é, verdadeiramente, como diz Alfredo Barroso, um facilitador de negócios.
Para ele, a falta grave do PM,  lapso para os apaniguados, provável esquecimento para o próprio, falha menor para os serviços admnistrativos e um não assunto para a Justiça que temos - , para ele Vitorino, tal não é motivo para que o Primeiro Ministro se demita, mesmo que do curricullum do Pedrinho se destaquem mais algumas atitudes de duvidosa licitude.
Ficamos assim a saber pela boca de um dos mais representativos "opinion maker" e " maître à penser " do PS e até putativo candidato a Presidente da República (pasme-se !!!) que qualquer cidadão incumpridor reiterado das leis, pode aceder sem problemas a altos cargos de chefia da Nação.
Vitorino mais não faz, a meu ver, que prever futuros trabalhos à liderança do PS no caso dos seus integrantes incorrerem em denúncias dos poucos jornalistas de espinha direita (espécie em extinção) que ainda por aí almejam, e mais que isso justificar futuras depredações do erário público.
Santana Lopes, apesar de acicatado pelos exemplos que Ana Lourenço atira para a discussão, vindos de outros paises onde factos semelhantes e de menor gravidade levam à imediata e inexorável demissão dos governantes, justifica a não punição politica e a inércia do Primeiro Ministro com uma delirante teoria .
Os paises do Norte, Luteranos diz ele e também Calvinistas digo eu, têm outra métrica para a ètica.
Sabe, diz na sua voz melosa, nós , os dos paises latinos somos assim.....
A próximas gerações de portugueses têm perante elas um trabalho árduo:
- Ou correm sem piedade com esta casta de politicos corruptos e com esta corja de politicos oportunistas, ou verão a sua Pátria e o seu Povo arrastarem-se penosamente num sofrimento sem fim à vista».

Retirado daqui