Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

22
Dez16

Chapecoense recebe Taça Sul-Americana

unnamed-21.jpg

A equipa da Chapecoense, cujo plantel de futebol foi vítima de um acidente de aviação na Colômbia, que ocorreu a 28 de novembro, quando o avião que transportava o clube brasileiro para o desafio da primeira mão da final da prova caiu em Cerro Gordo, a 17 quilómetros do aeroporto de Medellín, supostamente por falta de combustível e em que morreram 71 dos 77 ocupantes, recebeu o troféu da Taça Sul-Americana durante o sorteio da Taça dos Libertadores de 2017.

 

A entrega do troféu surgiu na sequência de um pedido do Atlético Nacional, da Colômbia, a 05 de dezembro, para que o seu adversário brasileiro fosse consagrado. O novo presidente da Chapecoense, Plínio David de Nes Filho, recebeu o troféu e fez questão de dividir o momento com o representante do Atlético Nacional, da Colômbia. Durante o sorteio, o Atlético Nacional recebeu o prémio Fair Play Centenário Conmebol, sendo reconhecido como o vice-campeão da prova.

 

«O reconhecimento a estes dois grandes clubes sul-americanos demonstra a grandeza do nosso futebol e recorda-nos a importância do valor do espírito da paz, da compreensão e o jogo limpo entre adversários», disse o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez.

30
Nov16

Acidente de aviação na Colômbia

mw-860.jpg

Ninguém poderá ficar indiferente à tragédia ocorrida ontem na Colômbia. Um acidente de aviação que originou 71 vítimas mortais e apenas seis sobreviventes.

 

Da equipa de 22 jogadores de futebol da Chapecoense que seguiam viagem para Medellín, 19 morreram, tal como toda a equipa técnica comandada por Caio Júnior bem como os dirigentes do clube, que iam disputar a final da taça sul-americana com os colombianos do Atlético Nacional.

 

Duas das seis pessoas resgatadas com vida do acidente aéreo estão internadas em estado grave. Os seis sobreviventes são: um jornalista de uma rádio local, dois tripulantes e três jogadores da equipa de futebol da Chapecoense. O antigo jogador do Sporting, Marcelo Boeck, escapou à tragédia porque tinha pedido um dia folga.

 

Muitos clubes já se dispuseram a dispensar jogadores, a título gratuito, para ajudar a reconstruir a equipa de futebol do Chapoecoense. A receita do próximo jogo Barcelona-Real Madrid reverterá por inteiro para os cofres do malogrado clube.

 

Neste infausto momento, o meu sentimento é de solidariedade para com todas as famílias enlutadas, com o desejo que repousem em paz os que infelizmente feneceram e que se recomponham rapidamente os sobreviventes e a equipa de futebol.

 

28
Mar15

Sobre a tragédia dos Alpes franceses

18173457_pWuMu.jpeg

Ao que tudo indica, o acidente do Alpes franceses terá sido uma ação intencional do copiloto. De acordo com as investigações levadas a cabo, o alemão Andreas Lubitz, de 28 anos, impediu a entrada do piloto no cockpit provocando deliberadamente a queda, decidindo dar um fim à própria vida e não hesitando levar consigo outras 149 pessoas.

O piloto terá saído por momentos, mas já não teve oportunidade de entrar no cockpit e retomar os comandos do avião. Lubitz ter-se-á trancado a bordo, dando início à descida que culminaria numa tragédia nos Alpes.

A queda do A320 da Germanwings nos Alpes franceses voltou a colocar a questão da segurança nas deslocações aéreas. Para lá deste acidente, os dados das várias organizações internacionais no sector da aviação mostram que o transporte aéreo continua a ser uma das opções mais seguras em termos técnicos.

Mas é óbvio que andar de avião é um risco como muitos outros que corremos. É uma escolha que fazemos como tantas outras, sem que nunca possamos prever os incidentes de cada viagem. Mas afinal a vida é feita de opções que tomamos todos os dias!

Sobre o acidente do avião nos Alpes a conclusão que retiro é o que aconteceu foi uma tragédia, sem dúvida, que nos tocou a todos. Ainda mais, porque é uma ironia o facto de isto acontecer com uma empresa alemã, que coloca em causa um rigor germânico que, nós portugueses, conhecemos como ninguém e que está bem patente na austeridade e na falta de esperança com que vivemos nos últimos quatro anos.

Mas viver com medo de tudo à nossa volta é o pior que nos pode acontecer. Quando saímos à rua podem-nos suceder mil e uma coisas. Sem que nada o preveja pode cair-nos um raio, um carro descomandado pode chocar contra nós ou ainda uma queda de uma árvore pode ser fatal…

A maior parte da nossa vida depende de outros, a nossa segurança, a nossa saúde, a nossa amizade, whatever! Por isso, acredito que quando perdemos confiança em tudo, inclusive nas pessoas, estamos à beira do abismo.

Uma loucura ou um erro, não nos pode retirar a capacidade de acreditarmos nos outros.

30
Jun14

“Funeral Blues"

(imagem TVI)

Ontem o Jornal da Noite da TVI abriu com a trágica notícia da morte do filho de Judite de Sousa após um acidente numa piscina na madrugada de sábado.

José Alberto de Carvalho visivelmente comovido leu uma  carta dos pais de André Bessa a dar conta do infausto acontecimento. Eu sei que a morte de André Bessa não é menos chocante que das duas crianças que faleceram na sequência de um despiste de uma moto-quatro em Penela ou daquelas que foram vítimas de um incêndio da Damaia.  Todas são lamentáveis e é impossível ficar indiferente perante estas notícias. Acontece que Judite de Sousa é uma jornalista conhecida do grande  público que semanalmente nos entra pela casa dentro, e sempre foi conhecida a dedicação que ela tinha pelo seu único filho. Por isso esta morte foi tão chocante.

Na ordem natural das coisas, os filhos crescem, tornam-se adultos, constroem a sua vida e eventualmente uma  família e sobrevivem aos pais. Nesta história como aliás nas outras duas, aconteceu tudo um pouco contranatura.

O que restará a uma mãe ou a um pai depois de perder um filho?  Não consigo encontrar as palavras adequadas às circunstâncias porque não há palavras no mundo que sirvam este propósito. Por isso transcrevo o poema “Funeral Blues” escrito em 1936 por W.H.Aundem  e que a TVI ontem dedicou a André Bessa, como homenagem aos pais que perderam os filhos que «sempre quiseram e que sempre os quiseram».

 

BLUES FÚNEBRE

Parem todos os relógios, desliguem o telefone,
Impeçam o cão de latir com um osso enorme,
Silenciem os pianos e ao som abafado dos tambores
Tragam o caixão, deixem as carpideiras carpir suas dores.

Deixem os aviões aos círculos a gemer no céu
Rabiscando no ar a mensagem Ele Morreu,
Ponham laços crepe nas pombas brancas da nação,
Deixem os sinaleiros usar luvas pretas de algodão.

Ele era o meu Norte, meu Sul, meu Este e Oeste,
Minha semana de trabalho, meu Domingo de festa
Meu meio-dia, meia-noite, minha conversa, minha canção;
Pensei que o amor ia durar para sempre: foi ilusão.

As estrelas já não são precisas: levem-nas uma a uma;
Desmantelem o sol e empacotem a lua;
Despejem o oceano e varram a floresta;
Porque agora já nada de bom me resta.

03
Jan14

Parabéns, Michael Schumacher

 

No dia em que completa 45 de vida, Michael Schumacher trava a mais dura competição que alguma vez enfrentou. O campeão mundial de Fórmula encontra-se hospitalizado, a lutar pela vida, na sequência do grave acidente que sofreu quando esquiava no domingo passado, nos Alpes franceses. Depois de operado duas vezes, o alemão continua numa situação muito melindrosa e não está completamente fora de perigo. Os médicos já alertarm que, mesmo que o piloto sobreviva, poderá sofrer sequelas irreversíveis.

Força Schumi!