Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

04.06.17

Quem Tem Medo de Virginia Woolf?

wm.jpg

(imagem retirada da Revista Visão)

Um dos maiores clássicos da dramaturgia norte-americana, Quem Tem Medo de Virginia Woolf? é uma adaptação da peça de Edward Albee que foi um estrondoso êxito na Broadway, magnificamente interpretada por Elizabeth Taylor e Richard Burton e que agora volta a estar em cena entre nós com os não menos brilhantes Alexandra Lencastre e Diogo Infante que ao lado dos jovens Lia Carvalho e José Pimentão dão vida a personagens que se confrontam entre a realidade e a ilusão numa autêntica teia sobre as complicadas relações conjugais.

 

Num texto denso e demolidor, Edward Albee exprime de forma desconcertante a verdade, o confronto, a traição, a provocação e muita loucura num serão desenrolado inteiramente na sala de estar do casal George (Diogo Infante) e Martha (Alexandra Lencastre), durante uma noite de muitas revelações, de jogos perigosos e agressões mútuas, com muito álcool à mistura, onde as personagens se vão revelando à medida que se descobre a mentira e a ilusão que envolvem as suas vidas.

 

Gostei muito do desempenho dos atores principais, particularmente do desempenho do Diogo Infante. A construção da sua personagem é soberba. Esteve genial, como habitualmente, com um sentido de humor por vezes sarcástico por vezes desconcertante. Mas eu sou suspeita porque gosto muito dele como ator.

 

A peça está no Teatro da Trindade, no Chiado, até ao dia 11 de Junho, e vale bem a pena ser vista. Por isso se não viram, corram.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D