Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

16
Ago17

No dia da Assunção de Nossa Senhora

arvore.png

Já não bastavam os incêndios que grassam por esse país fora, ontem, dois altares de culto a Nossa Senhora foram abatidos. Em Lousada, tonelada e meia de andor, carregado por 80 homens, ruiu e fez cerca de uma dezena de feridos. Na freguesia do Monte, no Funchal, outra procissão ia sair, quando cai uma árvore e mata treze pessoas e fere mais de quatro dezenas.

 

Para um católico estas tragédias configuram uma absurda crueldade. Aquelas pessoas, aquelas famílias, preparavam-se para honrar Nossa Senhora,no aniversário da morte da Virgem Maria e a sua subida aos céus - Dia da Assunção de Nossa Senhora.

 

Mas, religião á parte, a confirmar-se que a Câmara Municipal do Funchal foi em tempo notificada para abater aquela árvore de grande porte e fez 'orelhas moucas', então terão de existir consequências legais para os autarcas responsáveis.

 

E se se confirmar que os serviços da autarquia madeirense garantiram que as árvores aguentavam e estavam em condições de continuar, pese embora os constantes apelos dos munícipes, os técnicos da autarquia não poderão ficar impunes. Mais importantes que as árvores ainda são as pessoas. Já que não se podem evitar estas mortes ao menos que se honre a sua memória fazendo-se justiça.

14
Jul17

Assim vai o país....

 

cris_ferreira.jpg

19989564_10155537739563390_4890874827755733568_n.j

 

Afinal não são só os clubes desportivos que  recorrem a poderes do oculto. A avaliar pelas capas das revistas cor-de-rosa, damo-nos conta que destacadas figuras mediáticas - presenças habituais neste tipo de imprensa -  estão a atravessar uma crise profunda de crenças religiosas, tendo aparentemente também optado por estas realidades paralelas.

13
Mai17

Visita do Papa Francisco a Fátima

18423709_1364916873601119_5687841605826977527_n.jp

A vinda do Papa Francisco teve um enorme significado. Independentemente da religião ou credo que cada qual professa, é impossível ficar indiferente a este homem. Porque que é uma lufada de ar fresco numa Igreja tantas vezes anacrónica; porque está constantemente a quebrar muros e barreiras; porque está sempre do lado certo da História e ao serviço dos mais necessitados; porque é um Homem de afetos; porque é um homem simples, com um estilo frugal de vida, despojado de luxos ofensivos e porque transmite uma mensagem de humanismo, de paz e de esperança.

 

Parecem coisas de somenos, mas têm uma enorme simbologia e significado e são um grande exemplo para todos os fiéis mas também para os não fiéis.

 

Por isso, é muito importante que reflitamos nas palavras  do Papa, ontem, no Santuário de Fátima, focadas na Misericórdia e em Nossa Senhora. O Papa Francisco afirmou em Fátima que a Virgem Maria deve ser vista como uma referência para a vida espiritual dos católicos e não como uma «santinha» «a que se recorre para obter favores a baixo preço». «Na verdade, se queremos ser Cristãos, devemos ser marianos», afirmou, citando uma intervenção de Paulo VI.

 

Perante milhares de pessoas reunidas na bênção que antecede a procissão das velas, Francisco lembrou também  «cada um dos deserdados e infelizes a quem roubaram o presente» e os «excluídos e abandonados a quem negam o futuro».

 

Na véspera da canonização dos pastorinhos Jacinta e Francisco Marto, o verdeiro motivo da sua visita, o Santo Padre exortou ainda os católicos a serem misericordiosos. «Devemos antepor a misericórdia ao julgamento e, em todo o caso, o julgamento de Deus será sempre feito à luz da sua misericórdia», disse Francisco.

 

Na Capelinha das Aparições, junto à imagem de Nossa Senhora de Fátima, o Papa apelou aos peregrinos que ponham de lado «qualquer forma de medo e temor, porque não se coaduna» com «quem é amado».

 

Repetindo as suas preocupações em relação aos conflitos que ocorrem em diversas partes do mundo, como «bispo vestido de branco», pediu a Nossa Senhora para, «no mais íntimo» do seu «Imaculado Coração», que veja «as dores da família humana que geme e chora neste vale de lágrimas».

 

«Seremos, na alegria do Evangelho, a Igreja vestida de branco, da alvura branqueada no sangue do Cordeiro derramado ainda em todas as guerras que destroem o mundo em que vivemos», acrescentou.

 

Francisco fez esta oração depois de ter rezado perante a imagem de Nossa Senhora de Fátima durante perto de oito minutos, ao longo dos quais os milhares de peregrinos presentes no santuário, tal como o Papa, se mantiveram em silêncio.

09
Mai17

Fátima, Futebol e Fado

18319289_10213269190223814_1813601274778743020_o.j

Li no Facebook. e achei genial. O dia 13 de maio vai ser um grande dia para Portugal. Para além da visita do Papa a Fátima para a canonização dos pastorinhos e da possibilidade do Benfica se sagrar já campeão nacional, há ainda uma provável prestação de Salvador Sobral no Festival da Eurovisão que se prevê memorável. Se isto não é a reedição de «Futebol, Fátima e Fado» em pleno 2017, não sei o que seja! 

 

03
Mai17

O terço da Joana

Terço-de-Joana-Vasconcelos-em-Fátima_6.jpg

 

Um terço gigante pesando 540 quilos e medindo 26 metros de altura, obra de arte da artista plástica Joana Vasconcelos foi instalado no recinto do Santuário de Fátima.

 

A peça – encomendada pelo próprio Santuário para comemorar o centenário – recorda a aparição em Fátima aos três pastorinhos da Virgem Maria, que tinha em suas mãos um Rosário com contas brancas. 

 

A obra intitulada «Suspensão» segue a linha de obras anteriores da autora realizadas há mais de 20 anos (não ser executada com panelas e tampas em inox ou tampões OB foi uma sorte). Tudo em grande escala a fazer jus à autora e à sua obra.

24
Fev17

Acredite, se quiser!

fatima.jpg

Com a visita do Papa a Fátima nos dias 12 e 13 de maio, os preços disparam em flecha. Segundo adianta o DN, houve já quem reservasse uma noite em saco-cama por quase mil euros.

 

Com estes preços fica provavelmente mais barato ir a Roma, ver o Papa, com a vantagem de poder visitar e desfrutar dos encantos desta cidade.

 

01
Fev17

Sobre a morte medicamente assistida

552012_png.jpg

 

A Assembleia da República vai debater hoje uma petição do movimento cívico «Direito a Morrer com Dignidade» que defende a despenalização da morte assistida em Portugal.

 

O tema é polémico e tem dividido opiniões. Não tenho ainda uma opinião formada e definitiva sobre o tema, aliás como a maioria da população portuguesa, razão pela qual se deve lançar um debate alargado como bem sugeriu o Presidente da República.

 

Em todo o caso, julgo que há mais argumentos contra a morte medicamente assistida do que a favor. Desde logo os religiosos, éticos, morais e jurídicos.

 

Do ponto de vista religioso a Eutanásia é tida como uma usurpação do direito à vida humana.

 

Na perspetiva da ética médica a vida é considerada como um dom sagrado sobre o qual o médico não pode decidir sobre a vida de alguém. Os médicos, quando se formam, fazem o Juramento de Hipócrates, onde juram não matar e onde garantem, expressamente, todos os meios de sobrevivência aos seus pacientes.

 

Acresce, que a legalização da eutanásia poderia colocar em causa a relação médico /paciente. A legitimação da morte medidamente assistida levaria a que a mesma se aplicasse de forma discricionária, tendo como consequência a morte sem o consentimento das pessoas em causa. Depois, dada a dificuldade de se prever o tempo de vida que resta ao doente, bem como a possibilidade de erro no diagnóstico médico,  poderia conduzir a falecimentos precoces e sem sentido.

 

Do ponto de vista meramente jurídico, a nossa Constituição assegura aos cidadãos o direito à vida plena. O ato médico de retirar a vida a um doente a seu pedido e com o seu consentimento é punível por via do artigo 134º do Código Penal, e chama-se «homicídio a pedido da vítima». Não há, no entanto, na história da justiça portuguesa qualquer caso que, por via deste artigo, tenha chegado à fase de acusação.  

 

Estes argumentos parecem importante e suficientes para que se alargue a natureza do debate e a questão do sentido da vida adquira importância na discussão acerca da melhor maneira de morrer. Por isso, só favorável a que este assunto seja referendado.

 

Aliás, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, recém-eleito, já defendeu um referendo sobre o assunto, afirmando que o tema deve ser debatido por toda a sociedade portuguesa e que o parlamento não tem competências para tomar uma decisão deste tipo.

27
Fev16

Os cartazes polémicos do Bloco de Esqueda

19305064_uka5Q.jpeg

O Bloco de Esquerda pretende lançar uma campanha com a finalidade de assinalar a discriminação que existia com a adoção de casais homossexuais e que fez com que esta lei só fosse aprovada no passado dia 10 de fevereiro.

Para o efeito, o BE pretende colocar vários cartazes pelo país semelhantes ao da imagem supra. Mas, nas redes sociais a polémica já está instalada há dois ou três dias.

O Bloco de Esquerda dá a seguinte explicação para a escolha do cartaz: «A ideia do cartaz com a imagem de Jesus Cristo não pretende ofender nem a Igreja nem a religião, garante a deputada do BE Sandra Cunha. É apenas, diz, uma forma de “mostrar às pessoas” que “sempre existiram famílias diferentes” e que essa não é uma realidade “nova nem recente”. Os dois pais a que se refere o cartaz são, especifica a deputada, “o pai espiritual e o pai terreno” de Jesus Cristo. Sandra Cunha sabe que “provavelmente” o cartaz vai gerar polémica, mas considera-a “bem-vinda”, porque faz com que as pessoas discutam o tema, defende» (Público, 26/02).

É um argumento que vale o que vale. Mas, certo é que nem no seio do BE os cartazes obtiveram consenso. Por exemplo, no Facebook, Marisa Matias, a ex-candidata presidencial apoiada pelo Bloco de Esquerda assumiu que o cartaz em causa «saiu ao lado da intenção que se pretendia. Que foi um erro».

Na verdade, promover uma discussão através de um ataque soez ao nível dos valores e às convicções religiosas de muitos portugueses era escusado, até porque os temas que se prendem com a religião, sempre foram entendidos, ainda que tacitamente, que deviam estar à margem do debate político. Por outro lado, também não se entende a oportunidade escolhida de uma campanha (que obviamente tem os seus custos) para promover algo que já foi conseguido.

Por tudo isto esta campanha que mexe com as crenças religiosas é de muito mau gosto e portanto completamente dispensável, porque se trata de uma afronta totalmente gratuita e desnecessária.

23
Jun14

A modelo que se tornou freira

 

 (imagem do google)

Uma visita ao santuário de Fátima mudou a vida de Olalla Oliveros. Aos 36 anos, a famosa modelo e atriz galega, abandonou definitivamente as passerelles e a Sétima Arte para se juntar à Ordem de São Miguel e tornar-se freira, tornando–se conhecida como «irmã Olalla del Sí de Maria».

Apesar de se ter juntado à ordem religiosa há cerca de quatro anos, só agora decidiu falar publicamente desta sua decisão: «Deus nunca está errado. Ele perguntou-me se o seguiria e eu não podia recusar», afirmou, em declarações ao National Catholic Register.

Mas não se pense que Olalla Oliveros é um caso isolado. Também 2005, a colombiana, Amada Rosa Pérez, abandonou a sua carreira no mundo da moda para se juntar à comunidade religiosa Marian.

Opções legítimas e respeitáveis!

13
Mai14

Milhares de peregrinos rumam hoje a Fátima

Hoje, milhares de peregrinos rumam a Fátima, ao Altar do Mundo,  para se ajoelharem aos pés de Nossa Senhora de Fátima, numa das mais impressionantes manifestações de fé, paz e espiritualidade a que o mundo presencia desde 1917. Calcula-se que cerca de 35 mil devotos tenham feito, este ano, a pé o percurso até à Cova da Iria.

A história de Fátima está permanentemente associada à existência de três crianças – os três pastorinhos – : Lúcia e seus primos, Francisco e Jacinta Marto. A doçura e fé inocente de pequenos e humildes pastores levou-os a vislumbrar a mais santa das imagens: a de Nossa Senhora.
A 13 de maio de 1917, na Cova da Iria, a poucos quilómetros de Fátima, visionaram um clarão, onde agora se localiza a Capela das Aparições. A Virgem pediu-lhe que rezassem muito pelo bem do mundo, e anunciou que voltaria durante todos os dias 13 dos próximos meses. A última Aparição ocorreu no mês de outubro, tendo sido  presenciada por cerca de 70.00 fiéis que assistiram ao «Milagre do Sol».
Fátima é hoje por muitos considerada como o Altar do Mundo, onde os fiéis cumprem as suas promessas, acedem  velas  e onde acorrem milhões de peregrinos movidos pela maior força do mundo: a fé.