Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Sab | 28.12.13

Novas Regras do Código da Estrada

 

O Código da Estrada vai sofrer várias alterações a partir do próximo ano. Limites de álcool mais apertados, multas para condutores que cometam infrações em rotundas, mudanças na utilização de dispositivos móveis, introdução de zonas de coexistência. Estas são algumas das novas regras que entram em vigor já na próxima quarta-feira, dia 1 de Janeiro de 2014, de acordo com o jornal i, a saber:

Se a polícia lhe mandar parar, quando for a conduzir, terá de apresentar os habituais documentos: carta de condução, documento de identificação e papéis do seguro, mais, apresentação do cartão de contribuinte se o condutor ainda tiver bilhete de identidade. Caso não tenha consigo estes documentos, arrisca uma multa de 30 euros;

A condução nas rotundas passa a estar regulamentada e os infratores que ocupem, por exemplo, a faixa da direita sem terem intenção de usar as duas primeiras saídas arriscam uma coima entre 60 e 300 €;

O uso de telemóveis e auriculares ao volante também vai implicar outros hábitos. O artigo 85º do Código da Estrada tem uma nova redação e estabelece que só possam ser utilizados «aparelhos dotados de um único auricular». Ou seja, se antes até podiam ser usados auriculares duplos - desde que o condutor os utilizasse só num ouvido, agora estes equipamentos passam a ser expressamente proibidos quando se está a conduzir;

Há também modificações nas taxas de alcoolemia: o limite fica mais apertado para os condutores profissionais e os recém-encartados (com menos de 3 anos de carta). Nestes casos, a taxa baixa para 0,2 g/l de sangue - menos de metade do atual limite, fixado em 0,5 g/l;

Com a nova lei entra em vigor um novo conceito: as "zonas de coexistência" nas cidades que têm o intuito de “devolver as ruas aos peões nas áreas residenciais”, nas quais o limite máximo de velocidade se fixa nos 20 km/h e onde os chamados utilizadores vulneráveis, como crianças, idosos, grávidas, deficientes e condutores de velocípedes, podem utilizar toda a largura da via pública.

Acresce também que o condutor deverá ser melhor informado sobre os seus direitos, quando é mandado parar pelas autoridades.