Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Ter | 12.08.14

Oh Captain, my Captain!

narrativadiaria

 

 

Acordei hoje com a triste a notícia da morte de Robin William. Sim, é verdade, morreu o ator Robin Williams aos 63 anos de idade, alegadamente vítima de suicídio.

Robin Williams ganhou um óscar pela sua interpretação em «O Bom Rebelde». O ator e comediante era uma das mais admiradas figuras da Sétima Arte. A sua morte representará, sem dúvida, uma profunda perda para o cinema. As reações à morte do ator não se fizeram esperar e vários atores e artistas recorreram às redes sociais para expressarem a sua dor.

Recordo-o em vários registos, mas destaco o «O Clube dos Poetas Mortos», um dos filmes de culto.

Neste filme Robin Williams tem uma interpretação notável. O filme é, aliás, todo ele, uma lição de vida, onde Williams, ou melhor Mr Keating representa magistralmente um professor, que todos nós, certamente, gostaríamos de ter tido, que utiliza nas suas aulas métodos pouco ortodoxos que rompem com a rigidez da instituição.

A sua visão liberal do ensino e da vida encoraja os alunos a viver uma vida plena de sentimentos e emoções, a libertarem-se das convenções sociais que a academia lhes impunha e a sentirem verdadeiramente a poesia, quebrando as regras dos manuais.

Um verdadeiro ícone para tantos e tantos jovens, sobretudo pelo fascínio com que viveram o melhor o «Clube dos Poetas Mortos», para muitos, um filme de culto, pela força com que retiveram os ensinamentos daquele heterodoxo Mr. Keating que propunha como um lema de vida a expressão: carpe diem (aproveitem a vida).

Que descanse em paz!