Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sex | 05.04.13

O ESPIÃO REINTEGRADO E O TRIUNFO DOS PORCOS

«Há coisas que me têm de explicar muito devagarinho, a ver se eu entendo. Parece que há uma lei de 2007 (de Sócrates, o magnífico) que diz que um espião com mais de seis anos de casa tem emprego assegurado o resto da vida. Faça o que fizer? Perguntar-se-á - parece que sim.

Em função dessa lei, o espião Jorge Silva Carvalho foi agora reintegrado na presidência do Conselho de Ministros, com direito a assinatura de Passos Coelho e Vítor Gaspar e com o salário base que auferia quando era diretor do SIS. Para fazer o quê? Ah! Bom isso não sabemos, porque ainda ninguém sabe o que pode lá fazer o espião (embora ideias não me faltem).

Pronto a notícia está arrumada. A Lei é lei que se há de fazer? Etc. e tal.

Mas espera aí! Não foi este Governo que anunciou que vão uma série de funcionários para a rua?

Mas espera aí: Não é este o funcionário exemplar que está acusado de abuso de poder, violação de segredo de Estado e acesso indevido a dados pessoais? O tal que espiou um jornalista, deu informações privilegiadas a uma empresa e chegou a mandar espiar a ex-mulher de um amigo?

Mas espera aí! Não foi este mesmo Jorge Silva Carvalho que se demitiu das secretas em Novembro de 2010, nas vésperas de uma cimeira da NATO em Portugal, por discordar do corte de verbas?

Mas espera aí! Não foi este o espião que depois arranjou emprego no Conselho de Administração de uma, então prospérrima empresa privada que ia comprar meio mundo (e ao serviço da qual, suspeita-se, colocou os seus dotes de espião)?

Não deve ser. Deve ser outro Jorge Silva Carvalho. Porque se fosse o mesmo - e estando o Governo a meter funcionários na rua - começaria por este. Que já se demitiu! Que quis mudar de vida. Que passou do Estado para a privada por vontade própria! Que é arguido por ter prejudicado o próprio Estado. 

Deve ser outro, porque o Governo não é assim tão escrupuloso na lei, quando se trata de pensionistas, reformados, assalariados, desempregados, pessoas - digamos - normais.

Deve ser outro, porque este era amigo do dr. Relvas e o dr. Passos Coelho, como se sabe, não beneficia os amigos nem os amigos dos amigos, nem sequer os amigos dos amigos dos amigos.

Mas nem vale a pena fazer comentários. George Orwell, no seu magnífico livro 'O Triunfo dos Porcos' (em inglês Animal's Farm) escreve a célebre frase: "Todos somos iguais, mas alguns são mais iguais do que outros". Parece que os porcos não triunfaram só na quinta imaginada por Orwell».

Henrique Monteiro - Jornalista

Qui | 04.04.13

RELVAS DEMITE-SE

Miguel Relvas finalmente demitiu-se. Saiu pela porta pequena. Mesmo no discurso de despedida, não deixou de revelar o seu caráter. Não resistiu ao autoelogio e à bazófia, própria dos fracos de espírito, tecendo loas à sua obra(!?). A história da licenciatura, concluída em pouco mais de um ano na Universidade Lusófona com recurso a créditos e equivalências de natureza duvidosa, as pressões à comunicação social, o "caso das secretas", a sua relação com o ex-espião Jorge Silva Carvalho, a reestruturação da RTP, o dossier de reestruturação das autarquias, a privatização da TAP e os negócios antigos com o primeiro-ministro foram as principais razões da forte contestação a Miguel Relvas e ao governo. Atente-se na sua deslocação ao ISCTE, para participar num colóquio sobre comunicação social, onde os estudantes o receberam com cartazes, exigindo a sua demissão. Tudo isto foi mau de mais!  Relvas representa o que de pior existe na política portuguesa e Passos Coelho fez mal em deixar arrastar penosamente esta novela. O Ministro da Educação, Nuno Crato, também não sai bem na fotografia, no meio de toda esta trapalhada, depois de ter guardado na gaveta, por dois meses, o relatório da investigação à sua licenciatura. Parece que agora vai finalmente divulga-lo. Aguardemos por mais este desfecho. Cheira-me que o caso Relvas vai ainda fazer correr muita tinta.

Qui | 04.04.13

MOMENTO HILARIANTE NA ASSEMBLEIA

Paulo Macedo foi ouvido na Assembleia da República, na Comissão Parlamentar de Saúde, tendo mencionando várias medidas em curso para o setor. O momento hilariante do dia aconteceu - Laura Esperança, eleita pelo PSD, elogiou o ministro pela contratação de cerca de 600 enfermeiros por parte da ARS Norte. A parlamentar ignorava que a informação era uma partida do "dia das mentiras", veiculada através de correio eletronico do governo, e que já havia sido negada pelo próprio ministro da saúde. A deputada até agora desconhecida da maioria da população portuguesa, deixou de o ser pelos piores motivos.

Qui | 04.04.13

AUSTERIDADE PARA UNS, PRIVILÉGIOS PARA OUTROS

 

António Marinho e Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados: Austeridade e privilégios, no Jornal de Notícias:

«[...] O primeiro-ministro, se ainda possui alguma réstia de dignidade e de moralidade, tem de explicar por que é que os magistrados continuam a não pagar impostos sobre uma parte significativa das suas retribuições; tem de explicar por que é que recebem mais de sete mil euros por ano como subsídio de habitação; tem de explicar por que é que essa remuneração está isenta de tributação, sobretudo quando o Governo aumenta asfixiantemente os impostos sobre o trabalho e se propõe cortar mais de mil milhões de euros nos apoios sociais, nomeadamente no subsídio de desemprego, no rendimento social de inserção, nos cheques-dentista para crianças e —pasme-se — no complemento solidário para idosos, ou seja, para aquelas pessoas que já não podem deslocar-se, alimentar-se nem fazer a sua higiene pessoal.

O primeiro-ministro terá também de explicar ao país por que é que os juízes e os procuradores do STJ, do STA, do Tribunal Constitucional e do Tribunal de Contas, além de todas aquelas regalias, ainda têm o privilégio de receber ajudas de custas (de montante igual ao recebido pelos membros do Governo) por cada dia em que vão aos respetivos tribunais, ou seja, aos seus locais de trabalho. Se o não fizer, ficaremos todos, legitimamente, a suspeitar que o primeiro-ministro só mantém esses privilégios com o fito de, com eles, tentar comprar indulgências judiciais.»

 

Qua | 03.04.13

"IMPULSO JOVEM"

 

O inefável Relvas tirou mais um coelho da cartola. Escolheu um jovem empreendedor e criativo, Miguel Gonçalves de seu nome, que  conheceu através do You Tube, para ser embaixador para o programa “Impulso Jovem”. Este criativo apresentou-se como "um rapaz simples", que "acredita em sonhos e super-heróis" e que apesar de “não perceber nada de política" prometeu, mesmo “sem remuneração”, "arregaçar as mangas". “Ninguém deve deixar de estudar porque não tem dinheiro. É um mito". A falta de dinheiro para pagar propinas não é argumento que o demova. “Eu paguei as minhas propinas a trabalhar. Estudar em Portugal não é como em Stanford, que custa 45 mil euros por ano. A um jovem estudar custa 1.200 ou 1.300 euros por ano, são 100 euros por mês. Amigo, se tu com 20 anos não consegues fazer 100 euros por mês para pagar o que estudas vais ter muitos problemas na vida, muito maiores do que esse. Até a vender pipocas no centro comercial se arranja dinheiro para pagar 100 euros por mês ”, afirmou. Fantástico! Miguel Relvas gostou e aplaudiu.

Numa altura em que se fala tanto em desemprego jovem, que já ultrapassou a barreira dos 40%, blá blá blá .... Eis a solução! Tão simples e à "borla".

Que cromos!

Ter | 02.04.13

MUFFINS DE CHOCOLATE

 
Uma receita fácil, rápida e deliciosa que vi nas "Dicas da Madalena" no Facebook 
 
RECEITA:
 
1 taça de nutella
10 colheres de farinha
2 ovos
Misture, encha as forminhas e   leve ao forno médio 
Delicie-se!
Seg | 01.04.13

SPORTING!!!!!!

Não, não é mentira. O Sporting venceu hoje em Braga. O resultado final foi 2-3. Ricky van Wolfswinkel marcou três golos. Este é o primeiro jogo do Sporting, após Bruno de Carvalho ter tomado posse. O Presidente do Sporting assitiu ao jogo no banco de suplentes.
Seg | 01.04.13

«WOODY ALLEN, QUEREMOS VER-TE FILMAR EM LISBOA»

Há tempos foi criada uma página no facebook «Woody Allen, queremos ver-te a filmar em Lisboa» que circulou pelas redes sociais e  alguns blogues, depois de alguns dos filmes mais recentes do realizador terem como cenários capitais europeias (Londres, Barcelona, Paris e Roma).   Quando contactado sobre o facto, Woody Allen respondeu que para além de ter de encontrar uma boa história, tendo a capital portuguesa como pano de fundo, teria também de receber um convite de alguém disposto a avançar com o capital necessário para produzir a película. Admitiu, ainda, que Lisboa poderia ser o cenário para um filme romântico ou até de espionagem. «Porque em Lisboa ou há romance ou há espiões, (...) mas, uma vez que não conheço boas histórias de espiões, provavelmente seria um filme romântico», sublinhou. O Presidente do Município de Lisboa, entretanto, enviou um convite ao realizador. O impacto turístico de uma produção nestes moldes, penso que justificará um financiamento do Estado. Não apenas porque a produção, por si só, terá um retorno significativo, a começar na arrecadação de receitas, como poderá ser um fator muito positivo para a divulgação da capital portuguesa, atraindo certamente um número considerável de visitantes à cidade e projetando a sua imagem de Lisboa no mundo. Seria igualmente um bom trunfo para as próximas eleições autárquicas, jogado por António Costa.

Pág. 6/6