Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Seg | 03.03.14

Alain Resnais (1922 - 2014)

O cineasta francês Alain Resnais morreu no  sábado, 1 de Março, em Paris. Resnais, de 91 anos tinha sido homenageado na última edição do Festival de Berlim, onde estreou o seu último filme "Aimer, boire et chanter".

O autor de clássicos dos anos 60 foi uma referência fundamental na história do moderno cinema francês e um dos grandes nomes que pertenceu ao movimento da Nouvelle Vague francesa.

O cineasta tem também um importante conjunto de documentários rodados nas décadas de 40 e 50, mas só atingiu grande relevância pública a partir de meados dos anos 70, quando assinou uma série de filmes com grandes estrelas do cinema francês como , Fanny Ardant, Emmanuelle Riva, Yves Montand, Geneviève Bujold, Michel Piccoli, Sabine Azéma e Gérard Depardieu

Esteve nomeado cinco vezes para a Palma de Ouro do Festival de Cannes, nomeado para três Ursos de Ouro do Festival de Berlim e nomeado para três Leões de Ouro do Festival de Veneza, sendo que ganhou um Leão de Ouro em 1961, com o filme O Último Ano em Marienbad” (1961). Do o seu vasto curriculum contam-se obras-primas incontornáveis como “Noite e Nevoeiro” (1955),Hiroshima, Meu Amor (1959), O Meu Tio da América (1980),“Fumar/Não Fumar (1993), e As Ervas Daninhas(2009).A sétima arte vê assim partir mais um dos grandes resistentes! 

Seg | 03.03.14

Sean Connery apela à independência da Escócia

Sean Connery apelou ao «sim» no referendo sobre a independência da Escócia, que se realizará no dia 18 de setembro. Na opinião do ator, esta é uma «oportunidade demasiado boa para ser desperdiçada».

O ator escocês Sean Connery, de 83 anos, afirmou: «enquanto escocês, apaixonado desde sempre pela Escócia e as suas artes, penso que a oportunidade de escolher a independência é demasiado boa para passar ao lado».

«Um ´sim` no referendo vai atrair a atenção do mundo inteiro. Vai haver um interesse renovado sobre a nossa cultura e a nossa política, dando-nos uma oportunidade sem igual de promover a nossa herança e a nossa excelência criativa», argumentou Connery numa entrevista publicada no Sun on Sunday.

O antigo James Bond não poderá votar neste referendo por já não viver na Escócia (o ator mora em Nova Iorque). Apenas os residentes no país, independentemente da nacionalidade, o podem fazer. Porém, Sean Connery  afirma que não voltará a seu país até que este seja independente da Inglaterra.

Seg | 03.03.14

Noite de óscares 2014

A "selfie" de Ellen com os atores de Hollywood entrou para a história. Em menos de uma hora tornou-se na foto mais partihada na rede social, superando um milhão de tweets. Meryl Streep, Jennifer Lawrence, Bradley Cooper, Jared Leto, Julia Roberts, Kevin Spacey, Brad Pitt e Angelina Jolie são as estrelas que aparecem ao lado da apresentadora dos óscares deste ano.

«12 Anos Escravo», o filme de Steve McQueen e produzido também por Brad Pitt, saiu vencedor da 86ª edição dos Óscares e foi considerado o Melhor Filme de 2013. Mas o filme «Gravidade» venceu sete estatuetas, entre as quais "Melhores efeitos visuais", "Mistura de som", "Edição de Som", "Fotografia", "Montagem" e "Banda Sonora" sobretudo nas categorias técnicas, contra  três Óscares de «12 Anos Escravo».

Vencedores dos Óscares 2014

Melhor Filme

"12 Anos Escravo"

Melhor Realizador

Alfonso Cuarón, "Gravidade"

Melhor Ator

Matthew McConaughey, "O Clube de Dallas"

Melhor Ator Secundário

Jared Leto, "O Clube de Dallas"

Melhor Atriz

Cate Blanchett, "Blue Jasmine"

Melhor Atriz Secundária

Lupita Nyong'o, "12 Anos Escravo"

Melhor Argumento Original

"Her - Uma História de Amor", Spike Jonze

Melhor Argumento Adaptado

"12 Anos Escravo", John Ridley

Melhor Filme Estrangeiro

"A Grande Beleza", de Paolo Sorrentino (Itália)

Melhor Filme de Animação

"Frozen - O Reino do Gelo"

Melhor Curta-metragem de Animação

"Mr. Hublot", de Laurent Witz e Alexandre Espigares

Melhor Curta-Metragem

"Helium", de Anders Walter e Kim Magnusson

Melhor Documentário

"A Dois Passos do Estrelato", de Morgan Neville

Melhor Documentário de Curta-metragem

"The Lady in Number 6: Music Saved my Life", de Malcolm Clarke e Nicholas Reed

Melhor Banda Sonora Original

"Gravidade", de Steven Price

Melhor Canção Original

"Let It Go", de Kristen Anderson-Lopez and Robert Lopez, no filme "Frozen - O Reino do Gelo",

Melhor Design de Produção

"O Grande Gatsby", Catherine Martin e Beverley Dunn

Melhor Montagem

"Gravidade", Alfonso Cuarón e Mark Sanger

Melhor Montagem de Som

"Gravidade", Glenn Freemantle

Melhor Mistura de Som

"Gravidade", Skip Lievsay, Niv Adiri, Christopher Benstead e Chris Munro

Melhores Efeitos Visuais

"Gravidade", Tim Webber, Chris Lawrence, Dave Shirk e Neil Corbould

Melhor fotografia

"Gravidade", Emmanuel Lubezki

Melhor Guarda-Roupa

"O Grande Catsby", Catherine Martin

Dom | 02.03.14

Corrida aos Óscares 2014

(imagem google)

É já este domingo em Los Angeles, madrugada de segunda-feira em Portugal, que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas distribui os seus prémios e entre as estatuetas mais aguardadas da 7ª arte.

A 86.ª edição dos Óscares, organizados pela Academia de Cinema dos Estados Unidos contará, este ano,  com um nome português entre os nomeados: Daniel Sousa é candidato ao Óscar de melhor curta-metragem de animação com o filme "Feral".

A cerimónia, que será conduzida por Ellen DeGeneres, irá homenagear os heróis do cinema e contará com a presença de figuras do cinema como Sidney Poitier, Sally Field, Harrison Ford, Daniel Day-Lewis, Brad Pitt, Robert De Niro, Whoopi Goldberg e Anne Hathaway.
Quanto à lista de nomeados, para melhor realização há as estreias de Steve McQueen e Alfonso Cuarón, ao lado de David O. Russell (que já tinha sido nomeado em 2013 e 2011), Martin Scorsese (que vai na oitava nomeação) e Alexander Payne, pela terceira vez nomeado, agora com "Nebraska".

Para o Óscar de melhor filme estão indicados nove filmes: "Golpada americana", "Capitão Phillips"(de Paul Greengrass), "O Clube de Dallas" (de Jean-Marc Vallée), "Gravidade", "Her" (de Spike Jonze), "O lobo de Wall Street", "12 anos escravo", "Philomena" (de Stephen Frears) e "Nebraska".

O ator norte-americano Matthew McConaughey, nomeado pela primeira vez para os Óscares, é considerado favorito para ganhar a estatueta de melhor ator devido à sua interpretação no filme "O clube de Dallas", drama baseado numa história verídica sobre o vírus da Sida e os primeiros tratamentos na década de 1980.
Para melhor ator estão também nomeados Christian Bale ("Golpada americana"), Bruce Dern ("Nebraska"), Leonardo diCaprio ("O lobo de Wall Street") e Chiwetel Ejiofor ("12 anos escravo").

Meryl Streep ("Um quente agosto"), que vai na 18.ª nomeação, Amy Adams ("Golpada americana"), Cate Blanchett ("Blue Jasmine"), Sandra Bullock ("Gravidade") e Judi Dench ("Philomena") estão indicadas para a melhor representação feminina. Cate Blanchett deverá ser a escolhida pelo seu papel absolutamente extraordinário no filme de Woody Allen.

Na categoria de melhor filme em língua não inglesa estão nomeadas "A caça" (Dinamarca), "Ciclo interrompido" (Bélgica), "A grande beleza" (Itália), "Omar" (Palestina) e "The missing picture" (Cambodja).

Destaque ainda para o Óscar de melhor filme de animação, que inclui "The wind rises" ("Asas do vento"), o anunciado último filme do realizador japonês Hayao Miyasaki. A ele juntam-se ainda "Os Croods", "Frozen", "Gru, o mal disposto 2" e "Ernest & Celestine".
A cerimónia será transmitida para mais de 200 países e territórios e contará com as anunciadas atuações dos U2 e de Pharrell Williams, nomeados para melhor canção original com "Ordinary Love" e "Happy", respetivamente.

Sab | 01.03.14

O Ministro da Troika

(imagem do google)

Vítor Gaspar foi nomeado diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a área dos assuntos orçamentais,como o Expresso havia dado conta aqui há tempos.

E agora, por ironia do destino, será o ex-ministro das Finanças, que saiu do Governo em julho passado em rota de colisão com Paulo Portas, que vai supervisionar a partir de agora, do lado do FMI, a implementação da reforma do Estado, da responsabilidade do próprio vice-primeiro-ministro. A reforma do Estado social será o pilar da consolidação orçamental e da redução da despesa ao longo deste ano e dos próximos.

O FMI e os restantes membros da troika farão a monitorização dos desenvolvimentos das políticas públicas em Portugal até que o empréstimo da troika fique saldado, algo que acontecerá em 2042 ou até mais tarde. Mas neste e no próximo, a proximidade de Gaspar ao Governo português será maior, já que o país vai sair do programa de intervenção e atravessar um ano de pós-troika em que continuará a ser totalmente acompanhado e aconselhado pelo FMI, pelo BCE e pela Comissão Europeia.

Na sua crónica semanal no Expresso, de 22 de Fevereiro, Nicolau Santos, com a independência de espírito e de opinião que se lhe confere, afirma: «(…)e é por isso que, como Maria João Avillez reconhece, Gaspar «fazia parte do 'clube', nunca deixou de o frequentar, guardou amigos. Em certa medida - ou em toda a medida? - era de 'lá'. Nós não sabíamos mas a Europa sabia. E não o iria perder de vista no Terreiro do Paço». A Europa mandou para cá alguém para garantir que seria aplicado sem hesitações e mesmo com entusiasmo o remédio que nos prescreveu. Foi isso que Gaspar fez. Porque é do 'clube'. Porque pensa como eles. E por isso o 'clube' vai agora ajudá-lo a arranjar um emprego, onde se ganhe bem e não se pague impostos, onde as reformas não sejam cortadas e onde nunca possamos dizer dele o que disse de nós: que vive acima das suas possibilidades».

Ainda Gaspar veio dizer que considera insultuosa a ideia de ser encarado como o quarto elemento da troika!

Pág. 6/6