Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Dom | 06.09.15

Ainda José Sócrates...

Assim até dá gosto, ver a Justiça a funcionar!

 

«O velho princípio do «quem tem cú, tem medo». O Ministério Público diz que agora está “reforçada a consolidação dos indícios” e, por isso, “diminui o perigo de perturbação do inquérito”, e vai daí e promoveu a redução da «pena» de prisão cautelar a José Sócrates a «pena» de prisão domiciliária.

A grande vantagem, do ponto de vista da Direcção-Geral das Prisões, é que deixam de alimentar, dar tecto e vestir o mais célebre preso do País, que agora passa a prender-se a ele próprio e a expensas suas.

Do ponto de vista da Justiça, a coisa consistirá a que, em prisão domiciliária e dentro de três meses solto, o preso deixará de ser notícia para os embaraçar com a falta de acusação.

Quando um dia, sabe Deus quando, finalmente promoverem uma acusação, ninguém os poderá acusar a eles de ter mantido o homem preso mais do que o «necessário».
 
Necessário para quê, perguntarão. Não, seguramente, para consolidar um inquérito que já tinha um ano à data da cadeia. Então, para quê?

Bom, objectivamente, para lixar a campanha socialista ao longo deste ano de 2015. Ora vistes? Com precisão milimétrica, soltam Sócrates quase no início da campanha eleitoral; o suficiente para mais uma vez afogar o PS na espuma deste caso. Coincidências…

Não sou socialista, nem votar neles, escusam de pensar. Combati José Sócrates quando ele era primeiro ministro, ou seja, quando se podiam ter evitado os erros e tragédias que nos conduziram à situação actual. Nessa altura, recordar-se-ão de como a «justiça» era mansa com Sócrates e tudo lhe passava em claro. Onde é que estavam os Carlos Alexandres?

Mas agora? Ai, agora, severidade máxima. Ajudou a tornar o ar mais respirável, dizem uns; a mim, cheira-me é a lixo. A sórdido estrume. Um dia, quando a poeira assentar, talvez a história de como uma eleição tentou ser ganha seja feita. É que eu, já vi este filme e detesto remakes.

Esperemos que, no fim disto tudo, Justiça seja feita, como soi dizer-se e que, das duas, uma: ou Sócrates vá para a cadeia cumprir a expiação de crimes que ainda desconhecemos, ou o Carlos Alexandre e o Rosário Teixeira vão para a cadeia expiar este.

Pessoalmente, conhecendo a Justiça portuguesa como conheço, suponho que nenhuma das duas hipóteses se vai verificar…

Ai! Adoro este ar tão respirável!»
 
(retirado daqui)
Dom | 06.09.15

O circo está montado...

ng4636383.jpg

José Sócrates esteve em prisão preventiva 288 dias no Estabelecimento Prisional de Évora, no âmbito da chamada Operação Marquês, indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito, tendo sido agora colocado em prisão domiciliária, cinco dias antes do final do prazo da reavaliação da medida de coação preventiva (9 de Setembro), sem que ainda tenha sido deduzida qualquer acusação.

Segundo a imprensa, o procurador Rosário Teixeira  «não promoveu a fiscalização da medida por meios eletrónicos», ainda que tivesse invocado o perigo de fuga, mas desta vez o juiz Carlos Alexandre decretou prisão domiciliária, sem pulseira eletrónica, por considerar que, «face à prova reunida desde a última reapreciação, se mostra reforçada a consolidação dos indícios, o que diminui o perigo de perturbação do inquérito». Os advogados de defesa de Sócrates já afirmaram ser «insuficiente» esta alteração na medida de coação imposta ao ex-primeiro-ministro e anunciaram que vão recorrer da decisão. 

As eleições legislativas decorrerão daqui a menos de um mês, mas nos próximos dias a notícia que irá marcar a atualidade gira em torno de José Sócrates e é inevitável que este assunto tenha impacto na campanha eleitoral. Apesar das cautelas dos partidos políticos que procuraram separar as águas entre o poder político e o poder judicial, ao contrário de Paulo Rangel que afirmou categoricamente que este estava instrumentalizado por aquele, o ruído permanecerá como pano de fundo até porque Sócrates tem afirmado que é um preso político e que o arrastamento de todo este processo tem como principal objetivo impedir que o partido socialista vença as próximas eleições.

O circo mediático está de novo montado no nº 33 da Rua Abade Faria, casa onde atualmente reside o ex-primeiro-ministro ̶  cujo exemplo acabado foi o episódio insólito do estafeta que transportava uma pizza para Sócrates  ̶  e não tardará a ser visitada por todos os seus amigos, por socialistas da ala socrática e não faltarão as habituais entrevistas à comunicação social. A garantia, aliás, já foi dada ontem mesmo por um dos seus advogados, João Araújo, em conferência de imprensa adiantando que o ex-primeiro-ministro vai «oportunamente» falar «de viva voz».  

Tudo isto, fatalmente, causará danos ao PS e a António Costa. Apesar de todos os esforços do líder socialista para se demarcar da Operação Marquês que envolve Sócrates, assegurando reiteradamente que a justiça e a política não devem confundir-se e que o período governativo que conduziu Portugal ao terceiro resgate financeiro não está desta vez sob escrutínio, porque já foi objeto de sufrágio, a presença do ex-primeiro-ministro sobrepor-se-á a tudo o mais.

Sex | 04.09.15

Ó Joana, também não era preciso correr tanto risco....

naom_55e8a5f137bca.jpg

Joana Amaral Dias, ex-deputada e líder do movimento Agir pelo qual se vai candidatar às próximas eleições legislativas foi capa da revista CRISTINA deste mês. Na verdade Joana surpreendeu tudo e todos ao aparecer como veio ao mundo, grávida e abraçada ao namorado na revista CRISTINA.

Vindo o convite de Cristina Ferreira não me surpreende - a revista é a imagem da autora - o que realmente me espanta é Joana Amaral Dias prestar-se a estas produções. Só concebo que o tenha feito por duas razões:ou marketing eleitoral para obter dividendos políticos nas eleições que se avizinham ou a troco de uma choruda recompensa pecuniária.

As duas hipóteses são obviamente condenáveis e, sinceramente, a líder do AGIR não precisava disto. Espero bem que doravante não venha com discursos moralistas sobre ética política e afins, porque a partir de hoje Joana Amaral Dias perdeu toda e qualquer legitimidade para se pronunciar sobre esses temas.

Qui | 03.09.15

O drama dos refugiados

 turquia.jpg

Esta foto brutal de um menino encontrado morto sobre a areia de uma praia da Turquia, após o naufrágio de duas embarcações com refugiados sírios que tinham saído da cidade turca de Bodrum com destino à ilha grega de Kos, porta de entrada da União Europeia, gerou uma onda de comoção em toda a Europa.

A imagem tornou-se viral nas redes sociais, como símbolo do fim desastroso de alguns refugiados que tentam a sua sorte em perigosas travessias para o continente europeu, fugindo de conflitos, violência, pobreza, fome e perseguição.

Depois de nos últimos quatro anos centenas de milhares de sírios se exilarem na Turquia, no Líbano e na Jordânia, estes países começaram a impor restrições a novos ingressos. Perante a dificuldade de entrar nos países vizinhos, a alternativa foi migrar para a Europa.

O drama dos refugiados tem abalado consciências e a onda de solidariedade vai crescendo. A verdade é que o problema da migração não afeta da mesma maneira todos os Estados da União Europeia. A Itália, a Grécia e a Hungria estão forçosamente mais confrontados com esta tragédia e, perante uma ausência de resposta concertada ao nível europeu, os governantes têm adotado medidas pífias e de curto prazo para fazer face a um problema para o qual ainda não há resposta sustentável e douradora, digna dos valores humanistas que o Velho Continente tanto proclama. 

Enquanto o problema não for resolvido a montante, criando-se condições para que as pessoas vivam com o mínimo de dignidade nomeadamente na Síria, no Iraque, na Líbia ou no Afeganistão, todos os países europeus têm a obrigação de encontrar uma solução concertada perante a tragédia humanitária que se tem abatido pela Europa.

Como afirmou Rui Tavares, «A escolha que temos perante nós não é entre resolver todos os problemas do mundo ou não agir. A natureza da ação humanitária é fazer o máximo que for possível, da melhor maneira possível — e nós podemos fazê-lo. A escolha que temos perante nós é a escolha do mundo cívico: ser irmão dos nossos irmãos, e não deixá-los morrer à nossa porta».

Qua | 02.09.15

Descubra as diferenças...

972139.jpg

As semelhanças entre BE e PCP são evidentes. Isso ficou patente na entrevista de Catarina Martins e de Jerónimo de Sousa à RTP – Informação. As duas forças políticas fazem a mesma análise da situação do país e das razões da crise, coincidem na maioria das propostas e atacam os mesmos alvos – PS e coligação PSD-CDS.

É sobretudo ao nível da comunicação que o BE se distingue do PCP. Nas propostas dos dois partidos há sobretudo diferenças de tom (Catarina Martins mais estridente), de linguagem e de enfoque. Mas por muito que o discurso do BE seja diferente do discurso do PCP (o que também é fruto do primeiro dirigir-se a um segmento mais jovem, enquanto o segundo continua voltado para um eleitorado mais sénior), tudo somado, é mais do mesmo…

Ter | 01.09.15

Bem-vindo, setembro

13629294_48LUq.jpg

O mês de agosto já lá vai! E eis que chega setembro. Gosto deste mês! É certo que é o mês que coincide com o fim das férias de verão e com o regresso às rotinas, mas não deixa de ser um mês carregado de boas energias. Uma época de projetos, de boas intenções e  de esperanças, ideal para traçar novas metas e definir objetivos, em queremos dar o nosso melhor, em que a nossa motivação está no auge!

Por isso, bem-vindo, setembro!

Pág. 3/3