Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Dom | 14.07.13

Tomada da Bastilha

narrativadiaria
 

Comemora-se, hoje, em França a «Tomada da Bastilha». Este evento precedeu a Revolução Francesa de 1789. A invasão da fortaleza pelo povo de Paris, em 14 de julho de 1789 é a data de referencia das comemorações da Revolução Francesa. Um aspeto marcante deste acontecimento foi demonstrar que o movimento com a finalidade de extinguir o regime absolutista, contava a partir de agora com o povo em geral e não mais de um grupo de deputados que pretendiam modificar o regime através de leis. Na época, o sistema legislativo francês dividia-se em três grupos, os chamados três Estados: o primeiro compreendia os representantes da nobreza; o segundo representava o clero católico; finalmente, o terceiro, representava a população em geral. Os dois primeiros grupos votavam quase sempre em conjunto, deixando o Terceiro Estado isolado e marginalizado, tornando qualquer proposta de mudança da situação pela via política bastante difícil. Diante dessa situação de falta de representatividade política, somada à dilapidação dos cofres públicos promovida pela nobreza e pelo clero, aos problemas econômicos enfrentados pelo país na época (devido à participação francesa na guerra de independência dos Estados Unidos somada às colheitas deficitárias ocorridas naqueles últimos anos), a situação torna-se insustentável, o que lança o povo contra o governo de modo dramático, tomando o controlo do país à força. É assim que, a 25 de agosto do mesmo ano, a revolução em curso aprova a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, documento de inspiração iluminista que marca o declínio dos traços do sistema feudal ainda vigente no país, defendendo direitos considerados atualmente básicos e fundamentais, «Liberdade, Igualdade e Fraternidade».