Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Seg | 16.09.13

O futuro de António José Seguro pode jogar-se nas eleiçoes autárquicas

narrativadiaria

O futuro de António José Seguro poderá jogar-se já mas próximas eleições. Se Seguro tiver uma vitória confortável, leia-se ganhar alguns dos concelhos mais importantes do país,  a estratégia de enfrentar a liderança cairá por terra. Caso contrário,  sobretudo se os socialistas perderem algumas das autarquias emblemáticas, o problema da liderança poder-se-á reabrir. Augusto Santos Silva já avisou que António José Seguro apesar de ter cumprido bem o seu papel como líder da oposição, «não tem provado o suficiente como candidato a primeiro-ministro», acrescentando que os portugueses ainda desconfiam das capacidades de António José Seguro para lhe confiar os destinos do país. Na TVI 24,  Santos Silva afirmou, categoricamente, que se António Costa ganhar a câmara de Lisboa «folgadamente» e se o PS tiver uma derrota na noite autárquica, a questão da liderança do partido pode voltar a colocar-se, ou seja o resultado das eleições autárquicas «pode reabrir questão interna do PS». Quer isto dizer que «Seguro precisa de uma vitória clara, de uma vitória expressiva nas autárquicas».

Os apoiantes de António José Seguro não partilham essa opinião. Julgam que, mesmo que Seguro não tenha uma grande vitória nas próximas eleições, não terá o seu lugar em risco, a menos que tenha uma derrota esmagadora,  implicando para tanto que os socialistas perdessem para o PSD as principais câmaras. Para já, António José Seguro quis ser prudente e reduziu a fasquia ao mínimo, considerando que um bom resultado seria obter mais votos que o seu rival. Ora, maior número de votos terá certamente. Maior número de câmaras ver-se-á, na noite de 29 de Setembro.