Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Sab | 16.11.13

«O melhor bolo de bolacha do mundo»

 (imagem retirada da net)

 

 

2 pacotes de Natas Frescas

1 lata de Leite Condensado cozido

5 folhas de Gelatina (transparentes)

 2 pacotes de Bolacha Maria

Café  q.b

 

Demolhar as folhas de gelatina em água fria. Bater as natas até ficarem em chantilly, adicionar a lata de leite condensado cozido e bater novamente até estar bem firme, juntar as folhas de gelatina demolhadas (depois de escorridas põem-se no microondas cerca de 10 segundos para derreter). Bater novamente até estar uniforme e reservar.

Para fazer a montagem utilizar o aro de uma forma amovível e colocar as bolachas directamente no prato de servir e retirar o aro na hora de servir. Assim o bolo sai direito. Colocar as bolachas na forma a gosto, passadas por café frio quente, ligeiramente açucarado, cobrir com creme entre cada camada, repetir a operação até finalizar com o creme. Levar ao frigorífico durante várias horas. O ideal mesmo é fazer de véspera. Na hora de servir, abrir o aro da forma e retirá-lo. Por cima do bolo colocar bolachas Maria, esfareladas a gosto.

E deliciem-se. Garanto-vos que é divinal.