Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Seg | 19.08.19

Acabou a greve de motoristas

narrativadiaria

naom_5d58e55a215b1.jpg

E ao sétimo dia terminou a greve dos motoristas de matérias perigosas. Entre avanços e recuos, a desconvocação da greve trouxe o regresso à normalidade.

 

Tendo em conta que o objetivo da greve dos motoristas do Dr. Pardal era forçar a ANTRAM a negociar com a greve em curso e ao mesmo tempo paralisar o país, pode-se dizer que foi um falhanço em toda a linha.

 

Com o alarmismo e os avisos à navegação por parte do governo, as pessoas abasteceram com antecedência e em grandes quantidades. O preço deixou de ser relevante. A prioridade foi mesmo garantir o produto. Por essa razão, quem encheu os bolsos foram as gasolineiras. Além de escoarem os stocks, com a margens superiores ao habitual, ainda irão beneficiar de eventuais descontos de quantidade por parte das petrolíferas, melhorando assim os seus lucros. À pala disso lucrou também o Estado por via dos impostos cobrados.

 

António Costa, como já provou na greve dos professores, é exímio em reagir a acontecimentos que, à primeira vista, parecem difíceis de resolver, transformando-os em autênticos sucessos eleitorais. Estar rodeado de bons ministros também ajuda: Pedro Nuno Santos, o negociador por excelência, abriu a porta ao diálogo. A experiência, a maturidade e o bom senso de Matos Fernandes e de Vieira da Silva contribuíram para que o governo possa cantar vitória nesta greve.