Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Qua | 04.09.19

Adeus, Keizer

narrativadiaria

keizer.jpg

Marcel Keizer chegou ao Sporting, em novembro de 2019. Era um desconhecido do futebol português, destacando-se no seu currículo o facto de ter orientado o Ajax, durante um curto período,  antes de rumar ao Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos. 

 

Sucedeu a José Peseiro e foi apresentado como um treinador dinâmico, com um futebol moderno, das escolas holandesas, que apostava forte na formação, capaz de apostar e potenciar jovens talentos. Varandas queria uma equipa com um estilo de jogo diferente daquele que vinha sendo praticado pelo antigo treinador, José Peseiro. Pretendia um Sporting mais dominador e protagonista, que assumisse as despesas do jogo e jogasse um futebol apoiado e atrativo.

 

E isso até se verificou de início. Keizer entrou forte, com duas goleadas na Liga Europa e somou sete vitórias nos jogos seguintes, todas elas por números expressivos. O futebol era atrativo e os adeptos estavam empolgados.

 

A primeira derrota ao fim de oito jogos, mostrou que o Keizerball não era difícil anular. Seguiu-se a derrota com o Tondela,  duas jornadas depois do Guimarães.

 

A verdade é que tirando os primeiros oito jogos de futebol avassalador, a equipa do sporting foi perdendo gás e tornaram-se evidentes as suas debilidades, até porque os técnicos portugueses começaram a perceber como podiam anular o sporting. A derrocada na época passada  não foi maior porque Bruno Fernandes foi resolvendo muitos dos problemas da equipa, como comprovam os seus 32 golos e 18 assistências. Tudo somado e com alguma sorte à mistura, o sporting conseguiu atingir o terceiro lugar da I Liga e a conquista de dois troféus na época 2018/19: a Taça da Liga e a Taça de Portugal.

 

Esta temporada, a pré-epoca sem vitórias e a goleada sofrida na Supertaça, diante do Benfica, vieram por a nu as debilidades do plantel, confirmada com a derrota com o Rio Ave na última jornada. Desde então a saída de Keizer começou a ser mais do que esperada, sobretudo pela falta de qualidade de jogo da equipa. Uma falta de qualidade que se tem manifestado sobretudo no aspeto defensivo, com 11 golos sofridos em cinco jogos oficiais.

 

Aproveitando a paragem para as seleções nacionais, Frederico Varandas chegou a acordo com Kaizer e rescindiu contrato com o treinador por mútuo acordo. De forma interina, Leonel Pontes, que estava à frente dos sub-23, vai dirigir o grupo de trabalho até que seja nomeado outro treinador ou, quem sabe, até ao final da época, caso os resultados sejam animadores.

 

Na hora da despedida Varandas agradeceu ao treinador holandês que considerou ser um senhor até na hora de saída.