Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sab | 10.01.15

Alberto João Jardim prepara-se para liderar o PSD.

narrativadiaria

2014-11-12-RTR1PEZP--2-.jpg

O jornal I avança que Alberto João Jardim prepara-se para apresentar candidatura para liderar o PSD. Se Passos Coelho vier perder as próximas eleições legislativas, Jardim poder-se-á perfilar como candidato. Foi, aliás, com esse intuito que já assumiu publicamente a possibilidade de se candidatar a Belém.

Há poucos dias o histórico social-democrata admitiu, em entrevista à RTP Informação, essa hipótese. Segundo parece, a finalidade é aproveitar a boleia das presidenciais para ter palco e promover algumas das suas propostas até disputar a liderança do PSD. Daí ter deixado clara, na entrevista, a sua intenção de ir «a jogo para apresentar ideias para o país, mas sem qualquer ambição de ser Presidente da República».

Jardim admitiu ainda que pode ocupar o lugar de deputado na Assembleia da República, mesmo sabendo que será «uma experiência curta». O líder madeirense deverá demitir-se da presidência do governo regional da Madeira na próxima semana e ficar no cargo até às eleições, que se realizarão provavelmente em Abril ou Maio. Depois, poderá ocupar o seu lugar de parlamentar, mesmo que só por alguns meses, até entrar na corrida presidencial.

Não é a primeira vez que Jardim pretende candidatar-se à liderança do partido. Em 2008, após a demissão de Luís Filipe Menezes, o próprio ameaçou a hipótese de uma candidatura. Todavia essa ameaça não passou disso mesmo, mas agora há um dado novo, que é justamente o facto de estar desimpedido de quaisquer tarefas no governo regional para disputar a liderança do PSD.

Jardim tem agora uma oportunidade única de pulverizar os seus adversários, de esmagar a «burguesia dos salões de Lisboa e do Porto» contra a qual sempre quis lutar, obtendo, assim, um resultado que o catapulte para a liderança do PSD. Mas, como sabemos, em política não basta querer, é preciso reunir os apoios necessários, coisa que se afigura complicada, mas, tudo é possível...

Depois, como ele bem sabe, só com um aparelho totalitário e clientelar, como o que criou na Madeira, e com a subversão das regras do jogo é que eventualmente conseguiria triunfar. Mas o Continente não é a Madeira!

De qualquer modo, uma campanha com Alberto João Jardim como candidato não deixa de ter alguns atrativos. Mais não seja, há certemente animação garantida!