Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sex | 11.04.14

Assunção Esteves e os militares de abril

narrativadiaria

  

Já sabíamos que a presidente da Assembleia da República convive mal com os seus «inconseguimentos» . Mas convive pior, quando a sua autoridade é desafiada, aí responde com laivos de boçalidade.

Assunção Esteves convidou a Associação 25 de Abril para estar presente na sessão solene comemorativa dos 40 anos do 25 de Abril. Os militares aceitarem o convite, mas impondo como condição poderem igualmente discursar nas comemorações, sob pena da sua presença se limitar ao um mero papel decorativo.

Quando interpelada  pelo jornalistas, Assunção Esteves começou por dizer: «Todos os anos há convite à associação 25 de Abril. Este ano houve novo convite, o resto não existe, não comento o que não existe». Depois, quando confrontada com a condição de usar da palavra imposta pelo presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço na sessão solene, Assunção Esteves respondeu em tom grosseiro: «o problema é deles».

Está completamente equivocada a Senhora presidente da Assembleia da República. O problema, não é deles, o problema é nosso, do país que tem a representá-lo como segunda figura do Estado a Dra. Assunção Esteves que já demonstrou, por várias vezes, não ter perfil para o cargo que ocupa, uma vez que não possui duas qualidades essenciais para o efeito: educação e bom-senso.

O presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, já respondeu à presidente do Assembleia,  dizendo que «o problema está resolvido» e que os militares de Abril não irão marcar presença na cerimónia dos 40 anos da Revolução.

Recorde-se que há dois anos que os militares de Abril não participam nas comemorações oficiais de comemoração  do 25 de Abri, na Assembleia da República, em sinal de protesto, porque consideram que o atual ciclo político reinante está desvirtuado dos ideais políticos configurados com os valores da «Revolução dos Cravos».

2 comentários

Comentar post