Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Qui | 11.04.19

Buraco Negro

narrativadiaria

20190410-78m-800x466.png

 

O que são buracos negros? Numa abordagem da física clássica, buraco negro é um corpo celeste com campo gravitacional tão intenso que a velocidade de escape se iguala à velocidade da luz.

 

Acontece que a luz que entra num buraco negro não consegue sair, daí o termo "negro" (cor aparente de um objeto que não emite nem reflete luz, tornando-o de fato invisível), fazendo com que este não possa ser observado pelas técnicas que analisam a luz emitida ou refletida pelos objetos celestes.

 

Ontem, pela primeira vez, a Humanidade conseguiu captar uma imagem de um buraco negro. A equipa de cientistas focou-se num buraco com a massa de 6,5 mil milhões de sóis e que mede 38 mil milhões de quilómetros de largura. O event horizon captado acontece precisamente no último momento em que os gases à volta do buraco estão visíveis, antes de serem “engolidos” por este. Estes gases vão sendo condensados ao rodarem a velocidades cada vez mais rápidas em torno do buraco. À medida que se condensam, também aquecem e brilham, antes de serem totalmente absorvidos.

 

Há mais de cem anos, Albert Einstein tinha indicado a existência destes fenómenos no espaço, afirmando que eram compostos por vestígios de estrelas mortas. Quando a massa fosse grande e densa o suficiente, seria formado um buraco negro, teorizou o cientista. Esta imagem captada confirma a existência dos buracos e também ajuda a evidenciar a teoria da relatividade.