Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Dom | 08.03.15

Dia Internacional da Mulher

narrativadiaria

 

igualdadde-de-genero.jpg

Hoje é dia de celebrar o «Dia Internacional da Mulher». Pretende-se neste dia chamar a atenção para a dignidade da mulher enquanto pessoa humana. Perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que lhe vêm sendo impostos .

Mas fará sentido existir um «Dia da Mulher»?  Entendo e aceito o argumento de que a existência deste dia é muito aproveitado comercialmente e qualquer uma das iniciativas serve unicamente para vincar a singularidade deste dia, quando o que verdadeiramente interessava era que os restantes 364 também fossem dias em que a emancipação da mulher fosse conseguida.

Por outro, discordo dos que opinam que este dia nem sequer devia existir. Era tão bom que assim não fosse! Era sinónimo de que a igualdade de género era uma realidade.

Durante séculos, o papel da mulher incidiu sobretudo na sua função de mãe, esposa e dona de casa. Ao homem estava destinado um trabalho remunerado no exterior do núcleo familiar. Com o incremento da Revolução Industrial, na segunda metade do século XIX, muitas mulheres passaram a exercer uma atividade laboral, embora auferindo uma remuneração inferior à do homem. Lutando contra essa discriminação, as mulheres encetaram diversas formas de luta na Europa e nos EUA.

Infelizmente esta luta não chegou a todos os cantos do Mundo. Hoje em dia persistem sociedades onde a mulher é impedida de ir à escola, é obrigada a casar contra a sua vontade, é mutilada, é proibida de expressar os seus sentimentos e opiniões, é obrigada a esconder-se debaixo de um pano que cobre todo o seu corpo, é vítima de violência doméstica.

Desta forma, o dia 8 de Março é mais uma oportunidade para chamar a atenção para o longo caminho que falta percorrer até se atingir a igualdade plena de direitos e deveres e, sobretudo, de oportunidades.

A todas as mulheres que me inspiraram e me inspiram, que me ajudaram a crescer como pessoa, que pacificaram as minhas dores, que alimentaram os meus sonhos e me incentivam a expressar ideias,  seja por palavras, por ações ou exemplos de vida, a todas elas gostaria neste dia de prestar a minha singela homenagem.