Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Qua | 16.05.18

Dia negro na academia do Sporting

32680579_10210270384549734_3415150027167760384_n.j

15 de maio de 2018 ficará inevitavelmente marcado como dia mais negro da história do Sporting, quiçá do futebol português, quando um grupo de 50 hooligans encapuchados invadiu a Academia do Sporting, agrediu jogadores, treinador, equipa técnica e todo o staff, ainda para mais em véspera de um jogo tão importante como a Taça de Portugal.

 

O que se pretendeu com isto? Sinceramente ainda não percebi. Que os jogadores abandonem o clube a custo zero? Que fujam para os nossos rivais? Custa-me a acreditar que algum sportinguista, digno desse nome, pratique estes atos de vandalismo. Isto nem parece um ato de contestação, parece quase um ato de ódio e vandalismo puro, de alguém que quer prejudicar o clube.

 

É urgente identificar os autores destes atos de vandalismo, verificar se são parte de claques, se foram mesmo sportinguistas a prepara tudo isto ou se isto não será uma farsa como tantas outras criadas nos últimos tempos para prejudicar o clube.

 

Os adeptos mostrarem-se indignados após o jogo na Madeira é normal. O que não é normal é assistir-se a este espetáculo deplorável. Tenho para mim que esta espiral violência é o culminar de todo um processo tem vindo a incendiar progressivamente o futebol português perpetrado por dirigentes, gabinetes de comunicação, comentadores e claques.

 

O Sporting pode estar perante uma crise inimaginável: ver todos os principais ativos da Sporting SAD rescindirem o contrato com justa causa; ver os melhores jogadores reforçarem os clubes rivais a custo zero: perder centenas de milhões de euros sem representarem mais-valias para o clube. Nem quero imaginar um cenário destes. Seria trágico para o meu clube.

 

E perante o dia mais negro na história do Sporting o que disse Bruno de Carvalho? «Foi chato». «Temos de nos habituar que isto faz parte do dia-a-dia.». «Felizmente as coisas estão a correr dentro da normalidade». «Vamos esperar calmamente».

 

Estas declarações são inaceitáveis. É imperioso que Bruno de Carvalho e o seu staff saia quanto antes e que se convoquem eleições para que a normalidade seja enfim reposta.