Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Ter | 29.09.15

Governo mascarou défice de 2012

narrativadiaria

maria%20luis%20albuquerque.jpg

Ouvi hoje de manhã na Antena 1 que Maria Luís Albuquerque soube que a Parvalorem (empresa pública responsável por gerir o buraco do BPN) ia ter perdas de 577 milhões de euros, em créditos em risco de incumprimento. Confrontada com esta notícia a então secretária de Estado do Tesouro e atual ministra das Finanças deu indicações para mascarar as contas de modo a expressar o cenário mais otimista possível para esconder prejuízos do antigo BPN, com o objetivo de não agravar as contas do défice de 2012, retirando de forma artificial 157 milhões de euros do défice orçamental daquele ano.

A Parvalorem terá procedido então a uma operação contabilística para adiar o impacto das contas para exercícios futuro, fazendo alterações às contas já auditadas. Segundo a administradora da Parvalorem, Paula Poças, tal procedimento foi feito por «considerámos que não fazia sentido estar a agravar, no momento, as imparidades», explica. E afirma que «tal procedimento, o adiamento das imparidades para exercícios futuros, é natural numa cobrança difícil, como numa situação destas».

Em termos de saldo primário (valor do saldo das contas públicas excluindo os juros), Portugal terminou 2012 com um valor positivo 517,4 milhões de euros, quando a previsão era de um défice de 89,2 milhões de euros. Percebe-se agora como. Com estratagemas e opacidade é fácil apresentar bons resultados.

E agora estão em condições de responder à pergunta feita pelo irrevogável Portas: em quem confiam mais, em Teixeira dos Santos ou em Maria Luís Albuquerque?