Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sex | 18.04.14

Governo quer taxar alimentos «nocivos» para a saúde

 

 (imagem retirada do google)

O Governo prepara-se para criar uma taxa sobre produtos considerados nocivos para a saúde, como alimentos com teor elevado de sal ou açúcar, já a partir de 2015, cujo objetivo primordial é melhorar o estado de saúde da população. Em causa estão bebidas e alimentos sólidos embalados com quantidades de sal e de açúcar superiores a determinados níveis que ainda vão ser definidos, segundo o secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde.

Ninguém nega que reduzir a ingestão de alimentos que se revelem prejudiciais para a saúde deverá constituir uma prioridade e uma necessidade de qualquer executivo, havendo até estratégias nesse sentido em muitos países europeus.

Contudo, se estivesse na mente do governo efetivamente a saúde dos portugueses e não apenas o simples facto de aumentar a receita fiscal, o que se revelaria sensato e lógico era legislar no sentido de obrigar à diminuição da percentagem dos teores de sal e açúcar em alguns produtos, bem como de uma forma sensata e pedagógica veicular informação adequada que levasse os portugueses a reduzir o consumo de sal, gorduras e açúcar na sua alimentação.

Portanto, alegar motivos de saúde é, no mínimo, hipócrita, porquanto se os cidadãos cortarem em larga escala o consumo destes produtos, não só a receita fiscal diminui, como a despesa aumenta, motivada pelo desemprego nesses sectores.