Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sex | 11.07.14

Greve de jornalistas da Controlinveste

 (imagem do jornal I)

Os jornalistas do grupo Controlinveste, proprietário de meios como o DN, o JN, a TSF e O Jogo, agendaram para hoje uma greve de 24 horas como forma de protesto contra o despedimento coletivo de cerca de 140 trabalhadores, dos quais mais de 60 são jornalistas. Além do despedimento coletivo de 140 trabalhadores, outros 20 funcionários vão sair do grupo, mas por rescisão amigável, o que perfaz, no total, uma redução de 160 trabalhadores.

A greve foi convocada pelo Sindicato dos Jornalistas que apelou em comunicado a uma forte adesão dada a «violência e a dimensão» do despedimento.
«O despedimento coletivo de 140 trabalhadores assume uma violência e uma dimensão de que não há memória nas quatro décadas da democracia portuguesa. A concretizar-se, colocaria em causa a qualidade informação e mesmo a continuidade dos órgãos de informação atingidos, que já têm redações extremamente depauperadas», justificou aquela corporação.

Segundo avançou à agência Lusa o presidente do Sindicado dos Jornalistas, Alfredo Maia, a totalidade da Notícias Magazine fez greve. Na TSF, 78% dos jornalistas também aderiu à paralisação, Já no JN a adesão alcançou 60% dos jornalistas da redação de Lisboa, enquanto na sede se ficou pelos 34%, ultrapassando os 33% na sede do DN e 66% na redação do Dinheiro Vivo no Porto. Já na Global Imagens, no Porto, não trabalhou qualquer repórter e, em Lisboa, apenas estiveram dois, indicou Alfredo Maia. No entanto no jornal O Jogo, a greve «teve pouca expressão».

Os números avançados pelo sindicato não incluem os trabalhadores de férias, de folgas ou dispensas, nem aqueles que, perante o anúncio de despedimento, pediram dispensa do dever de assiduidade.

O objetivo desta greve «é de que a administração olhe para estes sinais e recue», disse o presidente do sindicato. Alfredo Maia assegurou ainda que o Sindicato dos Jornalistas tudo fará para «proteger os postos de trabalho e garantir o futuro das publicações» em causa.

O conselho de administração da Controlinveste é presidido por Daniel Proença de Carvalho desde a recente recomposição acionista que integrou no capital do grupo os empresários António Mosquito (27,5%) e Luiz Montez (15%), além dos bancos BCP e BES (ambos com 15%). O anterior proprietário, Joaquim Oliveira, passou a deter 27,5%.

2 comentários

Comentar post