Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Seg | 23.06.14

Infelizmente o adeus ao Mundial parece quase certo.

narrativadiaria

 (imagem do Público)

O adeus ao Mundial 2014 parece ser uma inevitabilidade. Apenas por milagre Portugal se apurará para a próxima fase e aí será novamente a calculadora – triste sina –  a ditar o futuro da seleção nacional, após o empate  diante dos EUA.

Alemanha e EUA ainda não estão apuradas. Somam ambas quatro pontos, embora os germânicos tenham melhor diferença de golos (6-2), contra (4-3) dos EUA. O Gana tem um ponto à semelhança de Portugal, mas a equipa das quinas detém pior diferença de golos do Grupo G (2-6) contra (3-4) dos ganeses.

Assim sendo, Portugal só permanecerá em prova se golear o Gana e se a Alemanha derrotar os EUA, uma vez que Portugal terá que recuperar de uma diferença de cinco golos para se apurar.

No plano teórico, tudo está em aberto, até mesmo a hipótese da Alemanha ser eliminada. Mas, para que tal acontecesse teriam os EUA que golear a equipa germânica e Portugal ter um comportamento semelhante relativamente ao Gana. Quer isto dizer que esta situação só seria possível se, por exemplo, os EUA goleassem por 4-0 e Portugal por 5-0. Um cenário que se afigura pouco provável!

É que ter «o melhor jogador do mundo» fisicamente limitado, dois três jogadores de acima da média e um conjunto de jogadores medianos a que acresce um número significativo de lesões (não me lembro de tantas!) e a teimosia de Paulo Bento em colocar jogadores em baixo de forma é manifestamente insuficiente para fazer oposição a seleções, sejamos francos, bem mais fortes que a nossa!

Uma palavra de apreço para Ricardo Costa, William Carvalho, Nani e Varela que, quanto a mim, foram os melhores em campo e estes últimos não apenas pelos golos que marcaram!

Desta feita, e embora estejamos habituados a fazer contas e saibamos que matematicamente ainda é possível, não é de esperar que os resultados necessários se concretizem e o adeus ao Mundial 2014 para a seleção Nacional infelizmente parece quase certo.