Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sab | 27.12.14

Marco Silva fica, mas....

narrativadiaria

marco.jpg

Depois das notícias vindas a público que davam como certa a saída Marco Silva, eis que ao final tarde  de ontem, o presidente do Sporting, numa intervenção na Sporting TV, reagiu aos rumores, que se fizeram ouvir nos últimos dias, admitindo que existem «problemas legítimos». No entanto, garantiu, Marco Silva irá estar ao comando da equipa técnica leonina, pelo menos, no encontro frente ao Guimarães para a Taça da Liga e assegura que as decisões que tenham de vir a ser tomadas serão feitas no seu devido momento, estando uma assembleia geral marcada para o próximo mês. A ameaça de forte contestação na sequência do despedimento do treinador pesou e fez com que Bruno de Carvalho arrepiasse caminho.

O que se conclui neste momento é que vive-se uma espécie de ‘paz podre’ em Alvalade.

Marco Silva fica, mas todos percebemos que a relação entre treinador e presidente nunca mais será a mesma. Marco Silva será a partir de agora um treinador a prazo. É certo que tem os jogadores do seu lado e grande parte dos adeptos, mas isso pode não ser suficiente. Marco Silva está literalmente refém dos resultados. Das duas, uma: ou o SCP embala num ciclo de vitórias retumbante e, nesse caso, o treinador passará imediatamente de «besta a bestial» e apagará esta «nuvem negra» que passou este Natal por Alvalade; ou se porventura o SCP claudicar e apresentar resultados menos conseguidos, o mais certo é que as relações entre presidente e treinador voltem a ‘azedar’ e lhe seja apontada a porta de saída.

Este processo foi, de facto, muito mal conduzido pela atual direção leonina e de pessoas próximas da direção (refiro-me concretamente a José Eduardo).

Bruno de Carvalho não pode falar em estabilidade e depois não criar condições para que a mesma se concretize. Não se pode disparar em todas as direções, porque isso criará inevitavelmente instabilidade em todos os setores, inclusive nos jogadores. Foram demasiadas as ‘guerras' compradas pelo presidente do Sporting. Quer com os principais rivais, quer com antigos dirigentes leoninos, quer com as federações, quer a nível interno, com o treinador.

Bruno de Carvalho como líder do clube leonino deve assumir o que de errado se passa no Sporting e reagir internamente. Falar com o treinador e com os jogadores, se necessário, no recato e não mandar recados através da comunicação social.

Tem sobretudo de ser o próprio a assegurar estabilidade e criar as condições à equipa técnica e aos jogadores para que as vitórias apareçam. Neste capítulo o presidente leonino tem falhado redondamente. Um líder forte e consensual é aquele que consegue envolver todos no seu projeto e não aquele que impõe à força as suas ideias.

Bruno de Carvalho terá muito provavelmente mudar de atitude, sob pena de ser o próximo alvo a abater.