Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sab | 15.11.14

Não há festa nem festança, sem a Dona Constança

narrativadiaria

cropped-mendes4.jpg

(imagem do google)

Marques Mendes é um político experiente que anda na vida política há muito tempo. Serviu vários presidentes do PSD,desde Cavaco Silva a Passos Coelho. Presidiu ao partido, tendo perdido a liderança para Luís Filipe Menezes. Daí em diante, dedicou-se ao comentário político e ao jogo de influências e contactos, tornando-se o oráculo do governo (quem não se recorda do caso BES cuja solução foi desvendada em primeira mão por Mendes).

Não sei se será apenas azar ou pura coincidência, o que sei é que em casos comprometedores, relacionados com suspeitas de corrupção ao mais alto nível do Estado, lá surge o nome do comentador SIC, muito embora consiga sempre passar incólume por entre os pingos da chuva.

No início do ano, o fisco detetou vendas ilegais de ações da Isohidra, administrada por Marques Mendes, o antigo dirigente do PSD, em 2010 e 2011, terá lesado o Estado em 773 mil euros. As ações foram vendidas por 51 mil euros, mas valiam 60 vezes mais.

Na Privatização dos CTT em que a sociedade Abreu Advogados aparece a assessorar o processo, Marques Mendes era um dos consultores daquela Sociedade.

Rebenta o escândalo “Tecnoforma” em que é o visado é o primeiro-ministro, Passos Coelho e lá está o nome de Marques Mendes que fazia parte dos órgãos sociais do Centro Português para a Cooperação - uma organização não-governamental (ONG)

Vem agora à baila o escândalo relacionado com os vistos de gold de Paulo Portas e, azar dos Távoras, uma das principais arguidas Ana Luísa Figueiredo, filha do presidente do Instituto dos Registos e Notariado, é uma das sócias de uma das empresas investigadas. O ministro da Administração Interna já foi sócio desta empresa e o inefável Marques Mendes ainda faz parte da sociedade.

Caso para dizer: «não há festa nem festança sem a Dona Constança».