Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sab | 28.03.20

Ninguém se salva sozinho

vaticanovazio1.jpg

Uma imagem avassaladora e comovente do Papa Francisco, na Praça de S. Pedro, ontem, completamente vazia, habitualmente repleta de fiéis, a dar a bênção Urbi et Orbi extraordinária. Uma oração histórica pela humanidade e pelo fim da pandemia do novo coronavírus que já fez mais de meio milhão de infetados e causou a morte a mais de 22 mil pessoas em todo o mundo.

 

«Estamos todos neste barco. Ninguém se salva sozinho», disse o Papa Francisco neste momento de fé. Falou dos médicos, dos enfermeiros, dos trabalhadores dos supermercados e das limpezas, das forças policiais, dos bombeiros, dos sacerdotes e religiosas e dos voluntários que todos os dias estão na luta para ajudar a população que enfrenta uma crise sem precedentes.


«Podemos ver tantos companheiros de viagem exemplares, que no medo reagiram oferecendo a própria vida. É a força operante do Espírito derramada e plasmada em entregas corajosas e generosas», disse o Papa na cerimónia transmitida para todo o mundo.


O Sumo Pontífice comparou o momento a um relato bíblico de uma tormenta enfrentada pelos discípulos de Cristo, considerando que tal como eles a humanidade foi agora surpreendida por uma tempestade inesperada em que todos estão «no mesmo barco, todos frágeis e desorientados, mas ao mesmo tempo importantes e necessários: todos chamados a remar juntos, todos carecidos de mútuo encorajamento».

 

«Senhor, abençoa o mundo, dá saúde aos corpos e conforto aos corações! Pedes-nos para não ter medo; a nossa fé, porém, é fraca e sentimo-nos temerosos. Mas Tu, Senhor, não nos deixes à mercê da tempestade», concluiu o Santo Padre quando pediu a bênção de Deus para todo o mundo.