Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sex | 20.06.14

Novas Capas dos livros de Saramago

narrativadiaria

 

 (imagem do google)

As obras do nosso Prémio Nobel da Literatura ganharam uma nova roupagem, com capas mais coloridas, mais apelativas e com os títulos em grande destaque.

São nove os títulos que com a marca da Porto Editora foram publicados nesta primeira etapa, numa reedição da obra de José Saramago. A principal novidade é o facto de as capas serem assinadas por personalidades do mundo cultural português que pelo seu próprio punho destacaram o título das obras.

Álvaro Siza Vieira ficou responsável por História do Cerco de Lisboa, Baptista-Bastos assinou A Noite, Dulce Maria Cardoso por Ensaio sobre a Lucidez, Eduardo Lourenço deu o seu cunho em A Caverna. Também deixaram a sua marca: Gonçalo M. Tavares,  As Pequenas Memórias, Júlio Pomar, Manual de Pintura e Caligrafia, Lídia Jorge, O Homem Duplicado, Mário de Carvalho, A Viagem do Elefante e Valter Hugo Mãe, As Intermitências da Morte.

A decisão foi tomada depois da filha, Violante Saramago, e da viúva, Pilar del Río - terem anunciado o fim de um acordo editorial  com a Caminho sobre a publicação das obras do autor português. Sobre a escolha da Porto Editora, a viúva e a filha elogiaram o facto de a Fundação Círculo de Leitores (que integra o grupo editorial) ter criado o Prémio Literário José Saramago, com o objetivo  de distinguir jovens escritores de língua portuguesa.