Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Dom | 06.09.15

O circo está montado...

narrativadiaria

ng4636383.jpg

José Sócrates esteve em prisão preventiva 288 dias no Estabelecimento Prisional de Évora, no âmbito da chamada Operação Marquês, indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito, tendo sido agora colocado em prisão domiciliária, cinco dias antes do final do prazo da reavaliação da medida de coação preventiva (9 de Setembro), sem que ainda tenha sido deduzida qualquer acusação.

Segundo a imprensa, o procurador Rosário Teixeira  «não promoveu a fiscalização da medida por meios eletrónicos», ainda que tivesse invocado o perigo de fuga, mas desta vez o juiz Carlos Alexandre decretou prisão domiciliária, sem pulseira eletrónica, por considerar que, «face à prova reunida desde a última reapreciação, se mostra reforçada a consolidação dos indícios, o que diminui o perigo de perturbação do inquérito». Os advogados de defesa de Sócrates já afirmaram ser «insuficiente» esta alteração na medida de coação imposta ao ex-primeiro-ministro e anunciaram que vão recorrer da decisão. 

As eleições legislativas decorrerão daqui a menos de um mês, mas nos próximos dias a notícia que irá marcar a atualidade gira em torno de José Sócrates e é inevitável que este assunto tenha impacto na campanha eleitoral. Apesar das cautelas dos partidos políticos que procuraram separar as águas entre o poder político e o poder judicial, ao contrário de Paulo Rangel que afirmou categoricamente que este estava instrumentalizado por aquele, o ruído permanecerá como pano de fundo até porque Sócrates tem afirmado que é um preso político e que o arrastamento de todo este processo tem como principal objetivo impedir que o partido socialista vença as próximas eleições.

O circo mediático está de novo montado no nº 33 da Rua Abade Faria, casa onde atualmente reside o ex-primeiro-ministro ̶  cujo exemplo acabado foi o episódio insólito do estafeta que transportava uma pizza para Sócrates  ̶  e não tardará a ser visitada por todos os seus amigos, por socialistas da ala socrática e não faltarão as habituais entrevistas à comunicação social. A garantia, aliás, já foi dada ontem mesmo por um dos seus advogados, João Araújo, em conferência de imprensa adiantando que o ex-primeiro-ministro vai «oportunamente» falar «de viva voz».  

Tudo isto, fatalmente, causará danos ao PS e a António Costa. Apesar de todos os esforços do líder socialista para se demarcar da Operação Marquês que envolve Sócrates, assegurando reiteradamente que a justiça e a política não devem confundir-se e que o período governativo que conduziu Portugal ao terceiro resgate financeiro não está desta vez sob escrutínio, porque já foi objeto de sufrágio, a presença do ex-primeiro-ministro sobrepor-se-á a tudo o mais.