Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Qua | 05.02.14

O Facebook é «uma agência de namoros»?

narrativadiaria

Numa altura em que o Facebook celebra 10 anos de existência, nem todos encontram vantagens em aderir à rede social criada por Mark Zuckerberg. Na opinião de Miguel Sousa Tavares, o facebook não lhe traz qualquer benefício. «Odeio esta e qualquer outra rede social. Todos os dias descubro mais vantagens em não estar lá, aquilo que ganho com isso é privacidade e tempo, dois luxos hoje em dia", explica Sousa Tavares.

O jornalista e escritor acrescenta que «as redes sociais refletem o isolamento em que as pessoas vivem. E criam um círculo vicioso. As pessoas acham que através das redes estão a combater o isolamento, mas estão a criar um mundo virtual», salienta.

O comentador da SIC, que já foi vítima de várias páginas falsas criadas no Facebook, explica que existem duas «desculpas clássicas» para as pessoas aderirem a esta rede social: «São as que dizem que aderem para divulgar o seu trabalho ou que querem encontrar colegas da primária. Não preciso de vender o meu trabalho dessa forma nem tenho interesse em encontrar os colegas da primária. Eles se quiserem que me encontrem. Por mais desculpas que arranjem, aquilo é uma agência de namoros», refere

A opinião de Sousa Tavares parece-me um bocado redutora, para não lhe chamar algo mais prosaico. O Facebook obviamente que tem virtudes e defeitos. É uma agência de namoros? Sê-lo-á certamente para quem usar o facebook com essa finalidade. Isola? Depende da perspectiva, para uma pessoa longe de amigos e familiares pode ser uma boa plataforma de socialização. Também serve para divulgar trabalhos profissionais (para aqueles que não dispões de outros circuitos como MST), concorrer a anúncios de emprego, para informar do que se vai passando em Portugal e no Mundo, para mobilizar os cidadãos para causas sociais e políticas. Se não fossem as redes sociais a coleção Miró certamente já cá não estaria. A notícia foi justamente despoletada nas redes socias, depois o Público fez manchete com a notícia e só depois é que entrou na arena política. Por isso, o facebook não é apenas «uma agência de namoros», como diz Sousa tavares.