Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sex | 16.12.16

O fim do Teatro da Cornucópia

narrativadiaria

 108_cartaz.jpg

 

O Teatro da Cornucópia, fundado em 1973 por Luís Miguel Cintra e Jorge Silva Melo, anunciou que vai fechar portas no próximo sábado.

 

Sem programação para os próximos meses, a Companhia decidiu colocar um ponto final na sua atividade com um recital, de entrada gratuita, às 16h00, a partir de textos do poeta francês Guillaume Apollinaire, com a participação de atores e músicos que têm trabalhado com o teatro. No mesmo dia do encerramento, é lançado o segundo volume do livro/catálogo «Teatro da Cornucópia», onde se relembram os espetáculos dos últimos 14 anos.

 

Em 43 anos de atividade o teatro centrou-se sobretudo na dramaturgia contemporânea, tendo encenado peças de Shakespeare, Tchekov, Moliére, Genet, Pasolini, Strindberg, Holderlin, Brecht, Garcia Lorca, mas também Gil Vicente, Camões, Almeida Garrett e António José da Silva.

 

Luís Miguel Cintra, Prémio Pessoa 2005, dedicou grande parte da vida ao Teatro da Cornucópia, retirou-se dos palcos em 2015 por razões de saúde. Já nessa altura, o ator e encenador falava na possibilidade de o teatro encerrar devido a constrangimentos financeiros no financiamento público pela Direcção-Geral das Artes.

 

Num ano de morte de tanto atores, mais uma grande perda para a cultura portuguesa. Que ano!