Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Sab | 18.10.14

Taça de Portugal: FC Porto 1 - Sporting 3

narrativadiaria

390363.png

O Sporting venceu com justiça o FC Porto por 3-1, em encontro da terceira eliminatória da Taça de Portugal disputado no Estádio do Dragão. Um resultado que deixa o FC Porto pelo caminho.

Os leões foram superiores durante quase toda a partida. O jogo começou com muita emoção. Foi com uma autêntica «entrada de leão» da formação de Alvalade no Dragão. Sinal de perigo de Nani, logo no primeiro minuto de jogo, em que enviou uma bola ao poste, Montero respondeu logo a seguir com um remate, em zona privilegiada, que acabou por sair fraco e enrolado. O FC Porto contra-atacou com Jackson Martínez, após um cruzamento de Óliver, que ficou a poucos centímetros do golo.

O Sporting foi crescendo ao longo da primeira parte, controlando o meio campo, mas quem acabou por inaugurar o marcador foi um jogador adversário. O central Marcano, num lance infeliz, desviou a bola para a própria baliza e fuzilou Andrés Fernández que nada pôde fazer, depois de um cruzamento de Jonathan Silva (31’).

Ainda se festejava ainda o golo do sporting quando, quatro minutos depois, Quintero isolou Jackson Martínez, que faz um chapéu a Rui Patrício e deu o empate à equipa portista (35’).

Mas, mais uma vez, o empate apenas durou outros quatro minutos. Passe errado de Casimiro, Maicon deixou Montero com espaço e o avançado colombiano assistiu Nani, que com um remate colocado pôs o Sporting novamente em vantagem (39’).

O intervalo obrigou Lopetegui a mexer na equipa, que surgiu no segundo tempo com mais vontade e outra garra. Mas sem efeitos práticos. Aos 51 minutos Jackson Martínez ganhou um penálti na área, depois de uma jogada individual, mas Rui Patrício, muito seguro esta tarde, negou o golo ao colombiano e foi segurando a vantagem do Sporting.

Marco Silva fez entrar Slimani e Carrillo e a equipa tornou-se mais objetiva e acabou com o jogo. Slimani embrulhou-se com o guarda-redes portista e com Marcano na pequena-área e a bola sobrou para o internacional peruano Carrillo que apenas teve que encostar.

Estava feito o resultado que permitiu ao Sporting seguir para a 4.º ronda com mais um feito para comemorar, uma vez que há sete anos que os leões não venciam no Estádio do Dragão.

O jogo acaba por castigar o FC Porto e Lopetegui que mais uma vez fez muitas alterações na equipa, deixando no banco Ricardo Quaresma, Alex Sandro e Indi.

O Sporting foi mais esclarecido. Jogo quase perfeito de William que voltou às exibições que nos tinha habituado no ano passado, sempre a sair com qualidade. A par de Adrien que construía e dava seguimento às jogadas. Simplicidade a recuperar bolas.

E que dizer de Nani? Grande Nani. Muita experiência, muita técnica, boa leitura de jogo, jogador pragmático e com classe.