Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Dom | 23.03.14

Obrigada, Bruno de Carvalho

narrativadiaria

Faz hoje um ano que Bruno de Carvalho foi eleito presidente do Sporting Clube de Portugal. A tarefa que o Presidente tinha em mãos não se afigurava nada fácil, depois de receber um clube que em termos desportivos tinha feito a pior época desportiva de que há memória. A situação económico- financeira da SAD era caótica, com um passivo astronómico e vários passes de jogadores alienados a fundos de investimento. A herança que recebera não podia ser pior. Contudo, e ao contrário do que era expectável, o primeiro ano à frente dos destinos do SCP excedeu as expectativas mais otimistas.

Em termos desportivos os resultados estão à vista. O Sporting, com metade do orçamento da época anterior e um investimento bastante inferior a Benfica e FC Porto, surge a sete jornadas do final do campeonato ainda em condições de discutir o título, a sete pontos do Benfica e com cinco pontos de avanço sobre o FC Porto; a aposta no treinador, Leonardo Jardim, pareceu arriscada, mas tem-se vindo a provar que a escolha de Jardim foi uma aposta ganha; aproveitou jogadores da formação do SCP, não só por questões de índole financeira, mas também por uma questão de identidade com o clube, deixando bem clara a sua aposta na formação; reforçou apenas algumas posições mais deficitárias, sendo que a maioria delas se veio a revelar eficaz, caso de Montero e Slimani. Se continuarmos a este ritmo, tudo indica que poderemos acabar esta época em segundo lugar, à frente do F.C Porto, o que já não acontecia há anos. Na pior das hipóteses, poderemos terminar em terceiro, ainda assim com possibilidade de acesso à Liga dos Campões (embora naturalmente tenhamos que disputar uma pré-eliminatória). 

Depois, a direção do SCP valorizou os ativos do clube, nomeadamente William Carvalho (enorme jogador) atualmente titular indiscutível no Sporting e internacional da Seleção Nacional, marcando muito provavelmente presença no Mundial de 2014 no Brasil. Mas para além de William, podemos ainda falar do crescimento de Adrien Silva e Cédric Soares, entre outros.

Conseguiu vender dois jogadores, Bruma e Illori, que claramente mostraram que não queriam jogar com as cores da camisola do Sporting. Na sequência deste negócio o clube encaixou mais de 17 milhões de euros. Blindou ainda o passe de alguns jogadores, com cláusulas de rescisão adequadas ao seu real valor, mostrando que a época de saldos acabou.

No plano económico-financeiro, conseguiu dar um novo fôlego ao SCP. Reduziu a despesa do clube, sobretudo nos custos com pessoal. Esta política financeira permitiu que o Sporting acabasse o primeiro trimestre da época com 7,2 milhões de euros de lucro (em contraste com os 7,7 milhões de prejuízo em igual período da época passada), sendo o único clube dos "grande" a registar lucros nesta época.

Para além das alterações operadas no seio Sporting, Bruno de Carvalho lutou contra poderes instalados no futebol, afrontando a corrupção e as más arbitragens, não se calando face às injustiças, não permitindo atos vexatórios ao Sporting e apresentando propostas claras para melhorar e dignificar o futebol. De entre a propostas apresentadas destaca-se: o aumento da proteção dos clubes formadores, a maior profissionalização e transparência nos processo de nomeação e classificação dos árbitros e a regulamentação das apostas online como fonte de receitas desportivas.

Bruno de Carvalho devolveu assim a honra e o prestígio que o clube merece e que há muito tempo havia perdido. Ter-se-á por vezes excedido? Certamente. Houve momentos em que não concordei totalmente com algumas palavras que proferiu. Mas é justo reconhecer que desde a presidência de João Rocha que não tínhamos um presidente que dignificasse tanto o nosso clube. Por tudo isto, resta-me agradecer, enquanto adepta,  a Bruno de Carvalho por tudo de bom que trouxe ao Sporting.