Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Ter | 04.03.14

Os Governos passam, mas o Carnaval fica!

narrativadiaria

 

 (imagem google)

O Governo, decidiu não conceder tolerância de ponto no Carnaval aos funcionários da Administração Central, cujo princípio deverá manter-se, pelo menos durante a aplicação do programa de assistência financeira.

Porém, a grande maioria das autarquias, empresas públicas, regiões da Madeira e dos Açores e quase todo o setor privado, resolveram contrariar tal decisão, concedendo tolerância de ponto aos seus funcionários. 

Questionado, recentemente, sobre uma possível mudança de posição após o fim do programa de resgate, o ministro Marques Guedes argumentou que o país já percebeu que os desafios atuais «são desafios exigentes» e que os portugueses já compreenderam que não poderão «deixar de continuar a trabalhar para os vencer».

O governo aboliu a seu bel-prazer os feriados e não dá tolerância de ponto no carnaval, por entender que estes dias seriam contraproducentes à produtividade do setor público que deve contribuir de forma exemplar para a retoma económica do país.

Ora, seria desejável para o país e, em particular, para os trabalhadores da função pública que houvesse uma orientação única sobre esta matéria, não é menos verdade que justificar politicamente a ausência de tolerância de ponto com a «necessidade de trabalhar» para aumentar a produtividade e  vencer a crise, só poderá ser entendido como uma “piada carnavalesca”.

Esta deliberação é a mesmo que presidiu à abolição de alguns feriados nacionais, tendo por base uma conceção ideológica de acabar com  as tradições  culturais e os símbolos nacionais do país, fazendo “tábua rasa” dos interesses e das motivações dos trabalhadores da administração pública.

Como em tudo, terá também aqui que haver bom senso. Se existem alguns feriados que poderiam ser extintos, outros há  que não faz nenhum sentido acabarem (caso do 5 de Outubro e 1º de Dezembro). Existem ainda, em minha opinião, algumas datas que  merecem consenso quanto à adesão popular e a terça-feira de Carnaval será seguramente  uma delas.

A época  do Carnaval é um dia repleto de tradição em muitas localidades deste país.  Embora não a  aprecie, reconheço a sua importância e valorizo a sua tradição cultural e popular. Na realidade o feriado e a “ponte do carnaval” ajudam a quem vive do turismo e da restauração a aliviar a carga económica negativa do Inverno rigoroso que se tem feito sentir em todo o país, funcionado como  um balão de oxigénio nesta altura.

Cavaco Silva, como sabemos,  sentiu na “pele” e nos resultados eleitorais o que foi a não concessão, em 1993, da tradicional tolerância de ponto e, provavelmente, este governo terá a mesma sorte, e bem merece! É que os Governos passam, mas a tradição do Carnaval mantêm-se!