Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Dom | 19.01.14

Passos veta apoio a Marcelo nas presidenciais

As próximas eleições presidenciais serão em 2016, mas o PSD conta ter apenas um congresso ordinário até lá, por isso Passos Coelho aproveitou para fazer na moção estratégica que irá levar ao 35º congresso do partido, um elogio ao atual Presidente da República. Diz Passos Coelho que «Aníbal Cavaco Silva tem encarnado uma visão do papel do Presidente da República em que o PSD globalmente se revê», isto, «apesar das diferenças naturais quanto às medidas de política que por vezes possam existir. O Presidente tem desenvolvido uma acção de cooperação estratégica e institucional com os governos constitucionais e com os outros órgãos de soberania que vai ao encontro do desejo dos Portugueses de o verem a desempenhar um papel construtivo e positivo que possa impulsionar, e não complicar ou bloquear, as soluções de que o País carece».

Na mesma moção, Passos Coelho definiu o perfil de candidato que o PSD gostaria de ver em Belém: «deve comportar-se mais como um árbitro ou moderador, movendo-se no respeito pelo papel dos partidos mas acima do plano dos partidos». Fora das suas preferências estará um candidato «protagonista catalisador de qualquer conjunto de contrapoderes ou num catavento de opiniões erráticas». Dito de outro modo, Passos Coelho não gostaria de apoiar Marcelo Rebelo de Sousa na corrida a Belém, uma vez que a definição que traça do perfil de candidato presidencial assenta-lhe que nem uma luva. Apesar de Marcelo não ter assumido qualquer candidatura a Belém, nunca excluiu essa hipótese, justificando que por «dever moral» não deveria afastar essa possibilidade.