Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Seg | 02.11.15

Por amor de Deus!

narrativadiaria

12193287_1261535440539270_27375696359748815_n (1).

O novo governo começa bem! O primeiro ato público do ministro da Administração Pública foi no Algarve, onde se deslocou para ver de perto os estragos causados pelo mau-tempo e cumprimentar a família do homem que morreu numa inundação em Albufeira. «Ele, que era um homem de apelido Viana, entregou-se a Deus e Deus com certeza lhe reserva um lugar adequado», disse o ministro aos jornalistas, antes de elogiar o trabalho das autoridades.

Calvão da Silva tentou ainda explicar o que se passou: «Houve uma fúria da natureza que se revoltou. Deus nem sempre é amigo, também acha que de vez em quando nos dá uns períodos de provação. Porque a força da natureza, na fúria demoníaca, embora os ingleses digam que é um ato de Deus, um 'act of God', a gente tem traduzir de outra maneira...»

Já sobre o pedido de calamidade pública, sublinhou que «não é uma lei que se faz por qualquer coisinha». Quanto à falta de seguro dos comerciantes, Calvão da Silva referiu que «é uma lição de vida».

Será que a dádiva de 14 milhões de euros também foram uma lição de vida para portugueses. Sim, foi esta eminência parda que defendeu a idoneidade de Ricardo Salgado num parecer entregue ao Banco de Portugal.