Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Narrativa Diária

Não escrever um romance na «horizontal», com a narrativa de peripécias que entretêm. Escrevê-lo na «vertical», com a vivência intensa do que se sente e perturba. Vergílio Ferreira

Sab | 23.12.17

Portugal muito perto de défice zero

800.jpg

Pela primeira vez, desde há dezoito anos, Portugal regista um défice histórico de 0,3% nos nove primeiros meses de 2017.

 

Os dados foram divulgados ontem pelo INE e apurados de acordo com as regras comunitárias. Em igual período do ano passado, o défice cifrava-se em 2,8% o que era, à data, um valor já muito baixo para o que vinha sendo habitual nos três primeiros trimestres de cada ano.

 

O saldo apurado pelo INE deve-se, wm boa medida, aos crescimentos de 7,1% nos impostos sobre a produção e importação, com relevo para o IVA, e de 5,3% nas contribuições sociais. No total, sublinha o Instituto, as receitas arrecadadas pelas administrações públicas aumentaram 5,5% e a despesa registou um recuo de 0,4%.

 

Segundo Mário Centeno, estes dados mostram que «a sustentabilidade das contas públicas portuguesas é uma realidade» que resulta de «um exercício muito rigoroso da despesa e um crescimento da receita em consonância com a evolução da atividade económica».

 

Começam a faltar cada vez mais argumentos à direita, especialmente a Rui Rio.